Friday, January 31, 2014

Bolo de limão siciliano e tomilho, outro seriado e estar errada sobre as coisas

English version

Lemon and thyme cake / Bolo de limão siciliano e tomilho

Com o fim de “Breaking Bad” achei que demoraria um tempão até viciar em um seriado de TV novamente, mas a qualidade de alguns dramas é tanta que logo arrumei outros vícios. Achei “Rectify” maravilhosa, mas com seis episódios apenas eu terminei de ver a série num instante. Fiz uma pausa para assistir a alguns filmes indicados ao Oscar deste ano e então comecei a ver “Masters of Sex” – quando estava em NYC setembro passado a cidade inteira estava tomada por propagandas de três programas de TV: “The Blacklist”, “Masters of Sex” e “Mom” – fiquei curiosa. Eu e meu marido adoramos a saga de Raymond Reddington, entretanto achei “Mom” pobre e ofensivo – devo estar ficando velha mesmo porque não consigo achar um pingo de graça na ideia de uma adolescente grávida.

Portanto, escolhi “Masters of Sex” e descobri que é um dos melhores seriados já produzidos, com roteiro e atuações em um nível bastante alto e um assunto interessante para arrematar. Eu já sabia o quão talentoso Michael Sheen é – algo confirmado novamente pela série –, por isso a surpresa foi Lizzy Kaplan: eu já a tinha visto em “A Ressaca” – nada de mais – e fiquei boba com sua atuação (sem contar que a mulher é lindíssima).

Geralmente fujo de bolos com ervas – especialmente alecrim, que acho forte demais – mas quando vi Nigel Slater preparar este bolo decidi experimentar: na manhã seguinte ao programa eu estava na cozinha, fazendo a receita dele e perfumando o apartamento todo com limão siciliano e tomilho. O bolo ficou uma delícia e bem molhadinho, e o tomilho dá uma dimensão diferente ao sabor do limão sem ficar com gosto da erva propriamente dita.

Não me importo de estar errada sobre coisas quando o resultado é bom: demorei quase nada para sobreviver ao final de “Breaking Bad” e quero fazer este bolo do Nigel todo final de semana. :)

Bolo de limão siciliano e tomilho
um nadinha adaptado do sempre fantástico Nigel Slater

Bolo:
100g de farinha de trigo
1 colher (chá) de fermento em pó
1 pitada de sal
100g de farinha de amêndoa
1 colher (chá) de folhas de tomilho fresco – aperte-as na colher na hora de medir
200g de açúcar cristal
200g de manteiga sem sal, amolecida
raspas da casca de 2 limões sicilianos grandes
4 ovos
½ colher (chá) de extrato de baunilha

Calda:
4 colheres (sopa) de açúcar cristal
o suco dos 2 limões usados no bolo
½ colher (chá) de folhas de tomilho fresco - aperte-as na colher na hora de medir

Pré-aqueça o forno a 180°C. Unte levemente com manteiga uma forma de bolo inglês de 900g, forre-a com papel manteiga e unte o papel também.
Bolo: em uma tigela média, peneire a farinha de trigo, o fermento e o sal, e então misture a farinha de amêndoa. Reserve.
Usando um pilãozinho, soque as folhas de tomilho com parte do açúcar até moê-las completamente e o açúcar ficar verdinho e perfumado. Na batedeira, bata a manteiga, o açúcar aromatizado, o restante do açúcar e as raspas de limão siciliano até obter um creme claro e fofo. Junte os ovos, um a um, batendo bem a cada adição. Raspe as laterais da tigela ocasionalmente. Acrescente a baunilha. Em velocidade baixa, junte os ingredientes secos aos poucos.
Transfira a massa para a forma preparada e asse por cerca de 45 minutos, ou até que o bolo cresça e doure (faça o teste do palito).

Quando o bolo estiver quase pronto, faça a calda: em uma panelinha, junte o açúcar e o suco de limão. Leve ao fogo médio, mexendo, até o açúcar dissolver. Junte as folhas de tomilho e ferva por 1 minuto. Retire do fogo.
Assim que o bolo sair do forno faça furinhos em toda a sua extensão usando um palito de dentes. Aos poucos, despeje a calda sobre o bolo, aguardando cada porção ser absorvida antes de derramar mais calda. Deixe esfriar completamente antes de desenformar e servir.

Rend.: 6-8 porções

Wednesday, January 29, 2014

Barquinhas de moussaka e entendendo referências

English version

Baked moussaka eggplants / Barquinhas de moussaka

Estava ouvindo FM semanas atrás e quando “Roar” da Katy Perry começou me toquei de uma coisa: os fãs adolescentes dela não entendem as referências na canção, entendem? Acho que não, pois são jovens demais para isso.

Não estou sendo chata – é óbvio que eu também não entendo milhares de referências (e é bem bacana quando consigo). :) É que às vezes algo bom pode passar despercebido por causa da nossa falta de referência, o que é uma pena. Acho que foi por causa do blog e todos esses anos lendo e tendo curiosidade sobre comida que eu imediatamente quis fazer esta receita quando a vi – do contrário eu provavelmente não teria prestado muita atenção a um prato chamado “moussaka”.

Estas berinjelas recheadas foram um sucesso estrondoso em casa – eu e o marido amamos, e de bônus elas ainda são fáceis de fazer. Substituí a passata pedida na receita por molho de tomate que eu tinha preparado na noite anterior (com tomates pelados e punhados generosos de manjericão, tomilho e orégano frescos) e acho que isso tornou o prato ainda mais saboroso.

Barquinhas de moussaka
um tiquinho adaptadas da deliciosa Taste Magazine (assinei a versão digital da revista no zinio.com)

- xícara medidora de 240ml

2 berinjelas pequenas (cerca de 500g no total), cortadas ao meio no sentido do comprimento
1 ½ colheres (sopa) de azeite extra-virgem
½ cebola picadinha
1 dente de alho graúdo, amassado e bem picadinho
1/8 colher (chá) de canela em pó
2 colheres (chá) de orégano seco
250g de carne bovina moída
¼ xícara de vinho tinto seco
½ xícara de passata*
1 colher (chá) de vinagre de vinho tinto
50g de pão picado – quanto mais durinha a casca melhor, tipo o italiano, e melhor ainda se for dormido
50g de mozarela ralada – usei a amarelinha mesmo
30g de queijo feta, ralado ou esmigalhado
folhas de manjericão, para servir

Pré-aqueça o forno a 180°C. Forre uma assadeira (em que caibam as 4 metades de berinjela uma ao lado da outra) com papel alumínio.
Com uma faca afiada e uma colher, retire a polpa da berinjela deixando a casca com 1 cm de borda. Pique bem a polpa. Coloque as barquinhas na assadeira, pincele com azeite e tempere com sal e pimenta. Asse por 10 minutos ou até que comecem a amaciar.
Enquanto isso, em uma panela grande, aqueça ½ colher (sopa) do azeite em fogo médio. Adicione a cebola e refogue por2 minutos ou até amaciar. Acrescente a polpa de berinjela e cozinhe por 3 minutos ou até que esteja macia. Junte o alho, refogue até perfumar, e então acrescente a canela e metade do orégano. Transfira para uma tigela.
Aqueça 1 colher (chá) do azeite na mesma panela e acrescente a carne, cozinhando até dourar. Volte a mistura de cebola e polpa de berinjela à panela, acrescente o vinho e cozinhe por 2 minutos. Junte a passata e o vinagre, tempere com sal e pimenta e cozinhe por 5 minutos ou até que a mistura engrosse ligeiramente. Retire do fogo e divida a carne entre as barquinhas de berinjela. Cubra com papel alumínio e asse por 15 minutos. Enquanto isso, junte o pão, os queijos, o orégano e o azeite restantes em uma tigela pequena e misture. Tempere com sal e pimenta.
Retire o papel alumínio, espalhe a mistura de queijo sobre as berinjelas e volte ao forno por mais 15 minutos ou até que a cobertura doure. Salpique com o manjericão e sirva.

* eu tinha feito molho de tomate no dia anterior (com tomates pelados e bastante orégano, manjericão e tomilho frescos) e o usei no lugar da passata

Rend. 2 porções

Monday, January 27, 2014

Barrinhas de manteiga queimada, nectarina e ameixa e sentindo-me afortunada

English version

Nectarine, plum and brown butter shortbread bars / Barrinhas amanteigadas de manteiga queimada, nectarina e ameixa

A Amazon me manda emails com ofertas de livros de receita toda semana e sendo viciada neles é difícil resistir – o que faço é dar uma olhada rápida e deletar as mensagens (na maioria das vezes). :) Entretanto, havia um livro no email recebido ontem que me fez sorrir, e eu imediatamente o coloquei no carrinho de compras: o livro da Jack Monroe.

Descobri o blog da Jack meses atrás e, depois de muitas lágrimas, me tornei fã. Apesar do orçamento meio restrito de minha família no passado, nós sempre tivemos comida em casa e eu cresci comendo todos os legumes e frutas que queria – não consigo imaginar o que Jack e seu filho passaram, nem de longe. É super bacana vê-la com um livro encaminhado, escrevendo colunas para jornais e afins, e lhe desejo todo o sucesso do mundo.

Foi por causa de Jack e seu filhinho fofo que senti vontade de dividir esta receita com vocês hoje: estas barrinhas deliciosas foram preparadas com as frutas que sobraram da ceia de Natal – lindas nectarinas e ameixas que eu não consumi por já ter comido demais. Eu pude comprar mais frutas do que conseguiria comer – e a isso tenho de dar valor.

Tenho comida na mesa todos os dias, às vezes mais do que o suficiente, e me sinto afortunada por isso.

Barrinhas amanteigadas de manteiga queimada, nectarina e ameixa
um nadinha adaptadas daqui

1 xícara (226g) de manteiga sem sal
1 xícara (200g) de açúcar cristal
1 colher (chá) de fermento em pó
2 ½ xícaras (350g) de farinha de trigo
¼ colher (chá) de canela em pó
1/8 colher (chá) de noz-moscada ralada na hora
1/8 colher (chá) de sal
1 ovo grande
2 nectarinas suculentas, maduras porém firmes, sem os caroços e em fatias bem fininhas*
2 ameixas suculentas, maduras porém firmes, sem os caroços e em fatias bem fininhas

Em uma panelinha, derreta a manteiga em fogo médio-baixo – a manteiga, depois de derretida, vai espumar e então se tornará clara e dourada, e no final se tornará amarronzada e terá um cheiro de castanha. Durante o tempo em que a manteiga estiver no fogo, mexa sempre, raspando o fundo da panela, e fique de olho, pois no final ela doura rapidamente e pode queimar. Transfira para um recipiente pequeno e raso, deixe esfriar e então leve ao freezer por aproximadamente meia hora, ou até que fique sólida, mas não congele completamente.
Pré-aqueça o forno a 190°C – você vai assar as barrinhas no centro dele. Unte levemente com manteiga uma forma de 32,5x22,5cm, forre com papel alumínio deixando sobras em dois lados opostos e unte o papel também.
Em uma tigela, misture com um batedor de arame o açúcar, o fermento, a farinha, a canela, a noz-moscada e o sal. Com duas facas sem ponta ou um pastry blender, incorpore a manteiga picadinha e o ovo até obter uma farofa grossa (fiz isso usando a batedeira em velocidade médio-baixa). Transfira ¾ da massa para a assadeira forrada e pressione para formar a base das barrinhas. Arrume as fatias de fruta sobre a base sem sobrepor. Salpique a mistura restante sobre as frutas.
Asse até que o topo doure bem, cerca de 30 minutos. Deixe esfriar completamente na assadeira, sobre uma gradinha. Corte em quadradinhos para servir.

* se as suas frutas forem graúdas provavelmente 1 de cada serão suficientes

Rend.: 24 unidades – fiz exatamente a receita acima usando uma forma de20x30cm

Friday, January 24, 2014

Panquequinhas de milho com salada de tomate e uma série que vocês precisam ver

English version

Corn fritters with tomato salsa / Panquequinhas de milho com salada de tomate

Faltando ainda mais de um mês para “Hannibal” e com a Sony enrolando séculos para levar ao ar os últimos dois episódios de “The Blacklist” comecei a ver outro seriado, um bem curtinho – apenas seis episódios para a primeira temporada – mas imenso em qualidade: “Rectify” foi uma maravilhosa surpresa, e cheguei à série graças à Amanda (obrigada, querida).

O seriado é sobre Daniel Holden – interpretado lindamente por Aden Young –, um homem que passou dezenove anos no corredor da morte e é libertado por causa de um exame de DNA. Um assunto definitivamente difícil e que poderia ser tratado de maneira tola ou piegas, mas não aqui; o texto é sublime e o elenco, idem, e a ótima notícia é que haverá uma segunda temporada com quatro episódios a mais. \0/

Outra boa notícia é que o uma vez enjoadinho Sr. Scarpin continua provando comidinhas novas (graças ao universo não foi algo efêmero ligado às viagens para a China e NY) e ele adorou estas panquequinhas de milho, mesmo não sendo muito fã do legume. A ideia era servi-las com uma salsa de abacate, mas o que comprei (aquele menorzinho, chamado também em português de avocado) não amadureceu nunca, então acabou sendo uma saladinha simples de tomate e cebola, mesmo, meio que uma vinagrete – e ficou uma delícia.

Panquequinhas de milho com salada de tomate
um tiquinho adaptadas da sempre apetitosa Delicious Australia

- xícara medidora de 240ml

Salada:
3 tomates maduros, sem as sementes, em cubinhos
1 cebola grande, bem picadinha
suco de 1 limão siciliano
2 colheres (sopa) de azeite extra-virgem, ou a gosto
sal e pimenta do reino moída na hora

Panquequinhas:
150g de farinha de trigo
1 colher (chá) de fermento em pó
1 colher (chá) de açúcar cristal ou refinado
½ colher (chá) de sal
½ xícara (120ml) de leite integral, temperatura ambiente
2 ovos
2 espigas de milho grandes, debulhadas
½ cebola pequena, bem picadinha
1 pimenta vermelha, sem as sementes se for muito ardida, bem picadinha
¼ xícara de folhas de salsinha picadas – meça, depois pique
2 colheres (sopa) de folhas de coentro picadas – pique, depois meça
sal e pimenta do reino moída na hora
óleo de canola, para fritar

Salada: coloque os tomates e a cebola em uma tigela média. Junte o suco de limão e o azeite, tempere com sal e pimenta e misture. Cubra com filme plástico e leve à geladeira enquanto prepara as panquequinhas.

Panquecas: peneire a farinha, o fermento, o açúcar e o sal em uma tigela grande. Em uma tigelinha, misture com um garfo o leite e os ovos, e então despeje sobre os ingredientes secos, misturando para incorporar. Acrescente o milho, a cebola, a pimenta vermelha, a salsinha e o coentro, tempere com pimenta do reino e misture gentilmente, de baixo para cima, para incorporar.
Aqueça um fio de óleo em uma frigideira antiaderente em fogo médio-alto. Em etapas, forme panquequinhas na frigideira com 2 colheres (sopa) cheias de massa por panqueca e frite por 1-2 minutos ou até dourar. Vire as panquecas e frite por mais alguns minutos para dourar o outro lado e cozinhá-las por dentro. Mantenha-as aquecidas enquanto frita o restante da massa.
Sirva as panquequinhas imediatamente com a salada.

Rend.: 4 porções

Wednesday, January 22, 2014

Biscotti de avelã, amêndoa e cranberry, e quando a competição é justa

English version

Hazelnut, almond and cranberry biscotti / Biscotti de amêndoa, avelã e cranberry

Sempre achei o Globo de Ouro muito mais divertido do que o Oscar e bem mais justo, também, já que drama e comédia são separados. “Justo” não é uma palavra que eu associe com frequência a estas premiações de cinema e TV já que sempre há as performances movidas a lobby que são indicadas (e vencem) às custas de gente talentosa deixada de fora.

Entretanto, este ano, quando Paula Patton e Aaron Eckhart anunciaram os indicados a Melhor Ator em Série de Drama, falei pro meu marido: “que raridade: todos eles merecem o prêmio”. A estatueta acabou nas mãos de Bryan Cranston – para minha alegria – mas teria sido completamente justo se Paula tivesse dito o nome de qualquer um dos outro quatro, e eu teria gostado do mesmo jeito. Acho que no fundo todos eles – e qualquer outro ator em um seriado grande de drama – comemoram o fato de que, ano que vem, Bryan Cranston não fará parte da competição. :D

Meu Bryan Cranston das receitas de biscotti, o de amêndoas da Alice Medrich, encontrou, depois de um bom tempo, competição à altura: estes biscotti da WS são tão gostosos quanto, e as cranberries secas macias são um bom contraste com o crocante das nuts. Nem pensem em substituir ou omitir as raspas de laranja: são elas que tornam estes biscotti tão especiais.

Biscotti de avelã, amêndoa e cranberry
um nadinha adaptados do delicioso Williams-Sonoma Collection: Cookies

- xícara medidora de 240ml

250g de farinha de trigo
½ colher (chá) de fermento em pó
½ colher (chá) de canela em pó
1/8 colher (chá) de sal
½ xícara (113g) de manteiga sem sal, temperatura ambiente
¾ xícara (150g) de açúcar cristal
2 ovos
2 colheres (chá) de extrato de baunilha
80g de avelãs, tostadas, sem a pele, picadas grosseiramente
80g de amêndoas, tostadas, sem a pele, picadas grosseiramente
½ xícara de cranberries secas, picadas se muito grandes
raspas da casca de 1 laranja

Pré-aqueça o forno a 180°C. Forre uma assadeira grande, de beiradas baixas, com papel manteiga.
Em uma tigela média, peneire juntos a farinha, o fermento, a canela e o sal. Na batedeira, bata a manteiga e o açúcar até obter uma mistura cremosa e cara. Junte os ovos, um a um, batendo a cada adição. Junte a baunilha. Em velocidade baixa, junte os ingredientes peneirados aos poucos e misture apenas até incorporá-los. Com uma espátula de silicone ou colher de pau, incorpore as avelãs, as amêndoas, as cranberries e as raspas de laranja até distribui-los por igual na massa (esta será molinha).

Transfira a massa para uma superfície bem enfarinhada e divida em duas partes iguais. Com as mãos enfarinhadas, transfira metade da massa para a assadeira preparada e forme um cilindro de 30x3,75cm com ela. Faça o mesmo com o restante da massa deixando 10cm de distância entre um cilindro e outro (eles esparramam ligeiramente enquanto assam). Asse até que dourem nas extremidades, 25-30 minutos. Transfira a forma para uma gradinha e deixe esfriar por 10 minutos. Escorregue o papel ainda com os cilindros de massa para fora da assadeira e forre-a novamente com papel manteiga. Com uma faca serrilhada, corte os cilindros de massa na diagonal formando fatias de 1,25cm, aproximadamente. Com cuidado, transfira-as para a assadeira com o lado cortado virado para cima. Asse por mais 10 minutos ou até que os biscotti dourem nas extremidades. Deixe esfriar completamente na assadeira sobre a gradinha.
Guarde os biscotti em um recipiente hermético, em temperatura ambiente.

Rend.: cerca de 4 dúzias – consegui 32 unidades


Monday, January 20, 2014

Bolinhos de cereja e amêndoa - outra receita com cerejas

English version

Tiny cherry and almond tea cakes / Bolinhos de cereja e amêndoa

Outra receita com cerejas, outro bolo, mas desta vez em versão pititica, e a razão para não ter feito estes bolinhos fofos anos atrás é que eu não tinha uma forma de mini muffins.
Não sei bem ao certo por que demorei tanto para comprar a tal forma – acho que toda vez que a via na loja acabava encontrando algo de que precisava mais, ou não estava com vontade de gastar dinheiro com outra coisinha de cozinha – opa, peraí, não é isso, não. :D

Meses atrás finalmente comprei a forma, mas daí tive de esperar até dezembro e a época de cerejas, e no final valeu bem a pena – os bolinhos são saborosos e tem uma textura gostosa e chewy (como financiers), sem falar que ficaram muito bonitinhos. <3

Só não se esqueça de avisar a todos que forem consumi-los que as cerejas ainda tem os caroços, por favor – estas delicinhas delicadas pedem por mordidas idem. :D


Bolinhos de cereja e amêndoa
um nadinha adaptados da Martha

- xícara medidora de 240ml

110g de farinha de trigo
1 xícara (100g) de farinha de amêndoa
¾ xícara (150g) de açúcar cristal
1 pitada de sal
4 claras grandes
3 colheres (chá) de Amaretto (ou Kirsch)
2 colheres (chá) de extrato de baunilha
½ xícara (113g) de manteiga sem sal, derretida e fria
24 cerejas frescas, inteiras

Pré-aqueça o forno a 200°C. Unte com manteiga e enfarinhe uma forma de mini-muffins com 24 cavidades (usei esta, comprei na Chocolândia, em SP).
Em uma tigela grande, misture com um batedor de arame a farinha de trigo, a farinha de amêndoa, o açúcar e o sal. Junte as claras e misture até obter uma massa homogênea. Acrescente o Amaretto e a baunilha. Acrescente a manteiga e misture para incorporar. Reserve em temperatura ambiente por 20 minutos.
Encha cada cavidade de forma pela metade – aproximadamente 1 colher (sopa) de massa – e afunde uma cereja dentro de cada uma, mantendo os cabinhos. Asse até que os bolinhos dourem (faça o teste do palito perfurando a massa, não a fruta). Deixe esfriar na forma por 10 minutos, e então desenforme com cuidado e transfira para uma gradinha para que esfriem completamente.
Os bolinhos podem ser guardados em um recipiente hermético, em temperatura ambiente, de um dia para outro.

Rend.: 24 unidades

Friday, January 17, 2014

Muffins de banana e framboesa, Cate Blanchett e virando a casaca

English version

Banana raspberry muffins / Muffins de banana e framboesa

Os indicados ao Oscar 2014 foram anunciados ontem e vários favoritos meus estão na lista: Leonardo DiCaprio, Christian Bale, Martin Scorsese, Judi Dench, Alfonso Cuarón, Amy Adams... Não confio no prêmio, mas é sempre bom ver gente talentosa sendo reconhecida por seu trabalho.

Depois de ver “Gravidade” – e ficar completamente encantada pelo filme – eu queria, com todo o meu coração, ver Sandra Bullock subindo as escadarias do Kodak Theater (sem tropeçar, claro) para receber o troféu de Melhor Atriz: ela está fantástica com Ryan Stone, uma performance que, para ser honesta, eu não esperava dela – adoro Sandra, mas não tinha ideia de que ela conseguiria atuar nesse nível. Foi uma boa surpresa e eu queria que ela fosse reconhecida por isso. Entretanto, vi “Blue Jasmine” ontem e Cate Blanchett consegue algo que chamo de pura perfeição no filme – até agora não consegui parar de pensar nela com Jasmine, na maneira como ela constrói a personagem e expressa suas emoções sem vaidade alguma, completamente a serviço do que o roteiro e o diretor querem dela. Sou fã de Cate há muitos anos e achei que tinha visto sua melhor atuação em “Elizabeth”, mas parece que eu estava errada – “Blue Jasmine” é o pico de uma carreira permeada de personagens criados e interpretados brilhantemente.

Desculpe, Sandrinha, mas estou mudando de lado. ;)

E já que estou sendo extremamente volúvel hoje, não vou mais dizer que a minha adição favorita a muffins de banana são mirtilos – sim, eles ficam ótimos combinados com banana, mas o sabor ligeiramente mais azedinho das framboesas combina ainda mais com estes muffins deliciosos e macios.

Muffins de banana e framboesa
um tiquinho adaptados da fantástica revista Olive

- xícara medidora de 240ml

250g de farinha de trigo
2 ½ colheres (chá) de fermento em pó
½ colher (chá) de bicarbonato de sódio
50g de açúcar mascavo claro
50g de açúcar cristal
1 pitada de sal
2 bananas grandes, bem maduras, amassadas com um garfo
2 ovos grandes
½ xícara de buttermilk*
75g de manteiga sem sal, derretida e fria
1 colher (chá) de extrato de baunilha
1 xícara cheia de framboesas congeladas (use-as sem descongelá-las antes)

Pré-aqueça o forno a 180°C; forre uma forma de muffins com 12 cavidades com forminhas de papel (usei esta forma, comprei na Chocolândia, em SP).
Em uma tigela grande, misture com um batedor de arame a farinha, o fermento, o bicarbonato, os açúcares e o sal. Em outra tigela, misture as bananas, os ovos, o buttermilk, a manteiga e a baunilha. Despeje sobre os ingredientes secos e misture levemente com um garfo – massa de muffin é empelotada mesmo, não é lisa como massa de bolo; não misture demais ou os muffins ficarão duros.
Divida a massa entre as forminhas, arrume as framboesas por cima e afunde-as levemente na massa. Asse por cerca de 20 minutos ou até que cresçam e dourem (faça o teste do palito).
Deixe esfriar na forma sobre uma gradinha por 5 minutos, e então desenforme com cuidado, transferindo os muffins para a gradinha. Sirva morninhos ou em temperatura ambiente.

* para fazer 1 xícara de buttermilk: coloque 1 colher (sopa) de suco de limão em uma xícara medidora de 240ml, complete com leite integral em temperatura ambiente e aguarde 10-15 minutos para sorar; use todo o conteúdo da xícara em usa receita

Rend.: 12 unidades

Wednesday, January 15, 2014

Batatas com especiarias e ovo frito

English version

Indian spiced potatoes with fried egg / Batatas com especiarias e ovo frito

Vocês que me visitam há algum tempo já sabem do meu amor por todas as coisas doces, mas eu também adoro pratos salgados e estou sempre em busca de ideias gostosas para o almoço ou o jantar.

Quando criança, nossa família vivia com um orçamento restrito – especialmente depois que minha mãe descobriu que tinha câncer – mas a comida foi sempre algo importante: ela assegurava que tivéssemos legumes e frutas frescos todos os dias, peixe uma vez por semana, e sempre fazia um bolo para que meu pai e eu tivéssemos algo para lanchar no trabalho e na escola, respectivamente. Ovos eram um ingrediente importante em casa e minha mãe (e anos depois, minha avó) os preparava de vários jeitos diferentes para as refeições – meus favoritos eram as suas omeletes e ovos fritos, e são pratos que adoro até hoje; pra ser sincera, com exceção de crus, como ovos de qualquer jeito possível (aposto que isso lhes lembra alguma coisa). ;)

Por isso esta receita, tirada deste livro lindo, me chamou a atenção: as batatas apimentadas já pareciam saborosas, mas o ovo frito por cima ganhou o meu coração. Depois de ter feito este prato vi o Bill preparar uma versão parecida em um programa de TV e nela ele cortava as batatas em pedaços um pouco maiores – vou tentar assim da próxima vez. Usei pimenta Sichuan simplesmente porque não tinha dedo-de-moça em casa – substituam conforme o gosto de vocês.

Batatas com especiarias e ovo frito
um nadinha adaptadas do lindo e delicioso Bill Granger Easy (comprei o meu aqui)

800g de batatas do tipo Desiree, descascadas e em cubinhos de 1cm (usei umas batatas esquecidas que tinha em casa, não sei de que tipo eram)
4 colheres (sopa) de óleo de canola
2 dentes de alho bem picadinhos
1 colher (sopa) de curry em pó
½ colher (chá) de cúrcuma
¼ colher (chá) de pimenta Sichuan moída na hora
25g de manteiga sem sal
sal e pimenta do reino moída na hora
1 punhado de folhas de salsinha picadas
4 ovos grandes

Cozinhe as batatas em uma panela grande de água salgada até que fiquem macias (aproximadamente 13 minutos). Escorra e deixe esfriar por alguns minutos.
Leve uma frigideira antiaderente grande ao fogo médio-alto e aqueça nela 2 colheres (sopa) do óleo. Junte o alho, o curry, a cúrcuma e a pimenta Sichuan e refogue por 30 segundos, mexendo sempre.
Acrescente a manteiga à frigideira e assim que ela derreter acrescente 1 colher (sopa) do óleo e as batatas. Frite por cerca de 5 minutos, virando as batatas com frequência. Tempere com o sal e a pimenta do reino e refogue por mais 1 minuto. Retire do fogo, junte a salsinha e misture. Divida a batata entre quatro pratos aquecidos.

Em outra frigideira antiaderente, aqueça a colher (sopa) de óleo restante em fogo médio-alto e frite os ovos por 2-3 minutos ou a seu gosto. Coloque um ovo frito sobre cada porção de batata e sirva.

Rend.: 4 porções

Monday, January 13, 2014

Bolo de marzipã, pistache e cereja, e coisas pelas quais vale a pena esperar

English version

Cherry, pistachio and marzipan cake / Bolo de marzipã, pistache e cereja

Toda vez que vejo algo gostoso com cerejas arquivo mentalmente a receita para prepará-la no final do ano, quando a fruta é abundante, doce e não tão absurdamente cara como durante o inverno. O problema é que sempre há diversas receitas e a época de cereja é, infelizmente, bem curtinha.

Uma das receitas que eu planejava fazer havia tempo era este bolo, da revista Delicious Australia, que combina duas paixões minhas: cerejas e marzipã. O bolo ficou úmido e saboroso, perfumado com água de flor de laranjeira, algo de que gosto bastante, mas se não for a praia de vocês substituam por extrato de baunilha. Achei que os pistaches foram um exagero e por mais que eu adore estas nuts não acho que acrescentaram nada de interessante aqui – gostei mais do bolo sem eles.

Valeu mesmo a pena esperar meses para provar este bolo maravilhoso, assim como valeu a pena ir dormir às duas da manhã para ver o brilhante Leonardo DiCaprio receber um Globo de Ouro. :)

Cherry, pistachio and marzipan cake / Bolo de marzipã, pistache e cereja

Bolo de marzipã, pistache e cereja
um nadinha adaptado da lindíssima Delicious Australia

Bolo:
300g de cerejas frescas, sem os caroços, picadinhas
150g de marzipã, em pedacinhos de 1cm – usei caseiro
150g de farinha de trigo + 1 colher (sopa) extra para envolver as cerejas
200g de manteiga sem sal, amolecida
185g de açúcar cristal
raspas da casca de 1 laranja
1 colher (chá) de água de flor de laranjeira
1 colher (chá) de extrato de baunilha
4 ovos
100g de farinha de amêndoa
2 colheres (chá) de fermento em pó
1 pitada de sal
50g de pistaches sem sal, levemente tostados, picados
açúcar de confeiteiro, para polvilhar

Calda:
o suco da laranja cuja casca foi usada no bolo
1 colher (chá) de água de flor de laranjeira
1 colher (sopa) de açúcar cristal

Pré-aqueça o forno a 170°C. Unte com manteiga uma forma redonda de aro desmontável de 20cm de diâmetro, forre o fundo com um círculo de papel manteiga e unte o papel, também (eu usei uma forma de fundo removível). Embrulhe a parte externa da forma com papel alumínio (para evitar que a massa vaze).
Em uma tigela pequena, envolva as cerejas e o marzipã com a farinha de trigo extra. Reserve.
Na batedeira, bata a manteiga, o açúcar cristal e as raspas de laranja até obter um creme claro e fofo. Acrescente a água de flor de laranjeira e a baunilha.
Junte os ovos, um a um, batendo bem a cada adição. Raspe as laterais da tigela ocasionalmente. Acrescente a farinha de trigo, a farinha de amêndoa, o fermento e o sal e incorpore com uma espátula. Acrescente metade das cerejas e do marzipã e incorpore com a espátula. Espalhe a massa na forma preparada e espalhe as cerejas e o marzipã restante sobre ela, pressionando levemente para cobri-los de massa.
Asse por 20 minutos, reduza o forno para 160°C e asse por mais 50-60 minutos ou até que o bolo cresça e doure (faça o teste do palito).
Enquanto isso, prepare a calda: coloque todos os ingredientes em uma panelinha e leve ao fogo baixo, mexendo, por 1-2 minutos ou até dissolver o açúcar. Aumente o fogo para médio e cozinhe por mais ½ minutos ou até a calda engrossar levemente.
Fure todo o bolo com um palito de dente e então derrame sobre ele, aos poucos, a calda morna. Salpique com o pistache e polvilhe com açúcar de confeiteiro.
Deixe esfriar um pouquinho, depois retire o aro da forma e deixe esfriar completamente antes de servir.

Rend.: 6-8 porções – fiz exatamente a receita acima, porém assei o bolo a 180°C o tempo todo (total de 60 minutos)

Friday, January 10, 2014

Linguiça assada com tomate, pimentão e cebola, um filme, muitas lágrimas e um desejo

English version

Baked sausages with tomatoes, peppers and onions / Linguiça assada com tomate, pimentão e cebola

A ideia de viajar no tempo já rendeu alguns filmes, alguns interessantes, outros pavorosos. Ontem assisti a outro filme sobre o assunto, de longe o mais bonito: um filme que me fez chorar feito um bebê (eram tantas lágrimas que tive de secá-las na manga do cardigã), que me fez pensar sobre várias coisas da vida e que me fez desejar o poder de voltar no tempo.

Fiquei pensando no quão incrível seria voltar ao meu passado e comecei a imaginar minha mãe e eu na nossa cozinha – com a mesa de fórmica azul na qual eu fazia a lição de casa enquanto ela lavava a louça do almoço – e nos vi cozinhando juntas: eu cortava cebolas, ela grelhava um bife. E o engraçado é que na minha cabeça eu não era uma criança: eu era uma adulta de 35 anos, como sou hoje, em pé, ao lado dela, que estava igualzinha a quando eu tinha cinco anos. E outra coisa engraçada é que não sei por que razão pensei nela fritando bife, algo que eu odiava quando pequena: eu geralmente comia os meus bifes frios e duros como pedra depois de sentar à mesa por horas, proibida de me levantar enquanto ainda houvesse comida no prato. :)

Já que Richard Curtis me fez pensar em minha mãe muito mais do que já faço diariamente, decidi dividir com vocês hoje esta receitinha deliciosa: como boa descendente de alemães minha mãe adorava carne de porco (e repolho – nossa, como ela amava repolho) e tenho certeza de que ela adoraria este modo de preparar linguiça – as porções de carne ficam douradas e sequinhas por fora e macias e suculentas por dentro, e o tomilho dá um toque maravilhoso.

Linguiça assada com tomate, pimentão e cebola
do programa de TV “Bill’s Notting Hill Kitchen”

2 cebolas, descascadas, cortadas ao meio, cada metade cortada em 4
1 pimentão vermelho grande, sem as sementes, em pedaços graúdos
6 dentes de alho ainda na casca
200g de tomates cereja
azeite de oliva extra-virgem, para regar
sal e pimenta do reino moída na hora
4 linguiças frescas
5-6 raminhos de tomilho fresco
1 punhado de azeitonas pretas

Pré-aqueça o forno a 200°C. Coloque as cebolas, o pimentão, o alho e os tomates em uma assadeira ou refratário médio. Regue com um pouquinho de azeite, tempere com sal e pimenta e misture. Retire a carne das linguiças de dentro das tripas, formando porções do tamanho de uma almôndega grande, e espalhe-as sobre os legumes. Cubra com os raminhos de tomilho, regue com mais um pouquinho de azeite e asse por cerca de 1 hora, virando os pedaços de linguiça na metade do tempo para que dourem dos dois lados. Retire do forno, espalhe as azeitonas sobre o prato e sirva.

Rend.: 2 porções generosas

Wednesday, January 08, 2014

Crumble de ameixa e amaretti, 33ºC e tudo

English version

Plum and amaretti crumble / Crumble de ameixa e amaretti

Uma resolução que pretendo manter em 2014 é continuar com a ideia do inventário (obrigada, Martha!) – funcionou bem até agora e evitou bastante desperdício. Entretanto, não sou perfeita (a Internet parece nos fazer parecer certinhas e corretas e onipotentes, não é? Não gosto nada disso) e desvio dos planos às vezes, e foi isso que aconteceu quando comprei um pacotinho de amaretti para usar no rocky road de Natal e acabei usando lokum.

É época de cerejas, pêssegos e ameixas por aqui e ando me deliciando com elas como se não houvesse amanhã – adoraria preparar algo com as frutas, também, mas o problema é que eu as como todas antes mesmo de ligar o forno (o que tem sido difícil aqui por causa do calor insuportável). Dias atrás, 33°C e tudo, decidi fazer o crumble de ameixa da Nigella (sim, eu sou a louca que faz crumbles no calorão), usando assim um pouco dos amaretti guardados no armário. Ficou uma delícia: o sabor dos biscoitos combinou lindamente com as ameixas maduras e suculentas, e uma jarrinha de creme de leite fresco bem gelado ajudou a baixar um pouco a temperatura (isso e um banho frio logo após a sobremesa). :D

Crumble de ameixa e amaretti
um tiquinho adaptado do delicioso Nigellissima: Instant Italian Inspiration

Recheio:
35g de amaretti – a Nigella pede biscoitos do tipo crocante, e não “morbidi”, eu usei estes
½ colher (sopa) de manteiga sem sal
250g de ameixas vermelhas maduras, cortadas ao meio se pequenas, em quatro partes se grandes, sem os caroços
½ colher (sopa) de açúcar cristal
raspas da casca e o suco de ½ limão siciliano

Cobertura:
50g de farinha de trigo
¼ colher (chá) de fermento em pó
1 pitada de sal
1 colher (sopa) de açúcar cristal
30g de manteiga sem sal gelada, em cubinhos

Pré-aqueça o forno a 190°C. Separe um refratário com capacidade para 1 ½ xícaras (360ml). Quebre os amaretti com as mãos e reserve.
Recheio: derreta a manteiga em uma panelinha (que tenha tampa), junte as ameixas, salpique com o açúcar, junte as raspas e o suco de limão e sacuda a panela sobre o fogo. Cozinhe a fruta por 2 minutos na panela tampada e dois minutos destampada. Transfira as ameixas para o refratário e salpique com metade dos amaretti.

Cobertura: coloque a farinha, o fermento, o sal e o açúcar em uma tigela pequena e misture. Adicione a manteiga e misture os ingredientes comas pontas dos dedos até obter uma farofa grossa. Com um garfo, incorpore o restante dos amaretti. Espalhe a cobertura sobre as ameixas e asse por cerca de 20 minutos ou até que a cobertura doure e as frutas borbulhem nas beiradas do refratário. Deixe esfriar por 10 minutos e sirva com creme de leite fresco ou sorvete.

Rend.: 1 porção

Monday, January 06, 2014

Bolo de Reis

English version

Roscón de Reyes / Bolo de Reis

Minha época do ano favorita está chegando ao fim: mais tarde desmontarei minha árvore de Natal e todos os enfeites voltarão para suas respectivas caixas – é uma pena, pois adoro vê-los espalhados pela casa.

Dia 6 de janeiro também é dia de celebrar os Três Reis Magos, e para isso lhes trago esta receita deliciosa, uma espécie de brioche coberto por um glacê de limão siciliano – ao contrário do Bolo de Reis que eu vira neste livro, a versão da Gourmet Traveller é bem mais bonita, e nada de bebê Jesus de plástico escondido em sua massa: apenas um pãozinho doce com amêndoas, gengibre cristalizado e cranberries secas.

Quem disse que ateus não podem apreciar algumas das tradições católicas? ;)

Bolo de Reis
um tiquinho adaptado da sempre lindíssima Gourmet Traveller

110ml de leite integral
2 ½ colheres (chá) de fermento biológico seco
60g de açúcar cristal
500g de farinha de trigo comum
1 pitada de sal
55ml de azeite de oliva
raspas da casca de 1 limão siciliano
raspas da casca de 1 laranja
2 ovos grandes
1 colher (chá) de extrato de baunilha
75g de manteiga sem sal, picada e amolecida
gengibre cristalizado, cerejas em calda e amêndoas sem pele, para decorar – troquei as cerejas por cranberries secas

Glacê de limão siciliano:
100g de açúcar de confeiteiro
suco de 1 limão siciliano

Aqueça o leite e 100ml de água em uma panelinha até amornar. Retire do fogo, junte o fermento e 1 colher (chá) do açúcar e reserve até espumar. Na tigela da batedeira, junte a farinha, o sal, o azeite, as raspas de limão e laranja e o açúcar restante e, usando o batedor em formato de pá, misture. Junte a mistura de leite aos poucos, bata por 5 minutos, junte os ovos e a baunilha e bata para incorporar. Batendo, junte a manteiga aos poucos e vá batendo até obter uma massa macia e homogênea (3-4 minutos). Cubra e deixe crescer até dobrar de volume (1 hora, 1 hora e meia).
Dê um soquinho na massa para extrair o excesso de ar, cubra e deixe descansar por 10 minutos. Unte levemente com manteiga uma forma de furo central canelada (tipo Bundt) com capacidade para 10 xícaras de massa.
Em uma superfície levemente enfarinhada, abra a massa com um rolo até obter um retângulo de 30x50cm. Enrole, formando um cilindro longo e feche bem a emenda. Faça um círculo com o cilindro e feche bem as emendas. Coloque o círculo de massa, com a emenda virada para baixo, na forma preparada. Cubra com filme plástico levemente untado com manteiga e deixe crescer até dobrar de volume, 30-40 minutos – enquanto isso, pré-aqueça o forno a 180°C.
Asse o pão por 25-30 minutos ou até que doure e ao dar batidinhas no pão com os nós dos dedos o som seja de algo oco. Deixe esfriar na forma sobre uma gradinha por 10 minutos, e então desenforme sobre a gradinha com cuidado. Deixe esfriar completamente.

Glacê de limão: peneire o açúcar em uma tigelinha e junte o suco de limão aos poucos, misturando até obter um glacê espesso com uma consistência boa para ser espalhado sobre a rosca. Espalhe sobre o pão já frio e quando o glacê estiver quase seco decore com o gengibre, as cerejas e as amêndoas.

Rend.: 8-10 porções

Thursday, January 02, 2014

Bolinhos de quinua com maionese de harissa - começando 2014 de maneira saudável

English version

Quinoa fritters with harissa mayo / Bolinhos de quinua com maionese de harissa

Feliz Ano Novo, pessoal! :)

Espero que todos tenham tido ótimas festas, cheias de boa comida e boas pessoas. Eu e o marido abusamos um pouquinho – ou eu deveria ser honesta e dizer um poucão? :) – nos dias de folga, e agora é hora de começar a comer direito novamente: menos álcool, mais grãos e verdinhos saudáveis. Estes bolinhos de quinua são facílimos de fazer e fazem bem à saúde, e a maionese de harissa dá a eles um tchã – viciei nessa maionese apimentada porque ela é deliciosa com outras coisas, também (transforma um hambúrguer normal em algo espetacular, por exemplo).

Obrigada por todos os comentários e emails, os responderei em breve. xx

Bolinhos de quinua com maionese de harissa
um tiquinho adaptados do Bill Granger (bolinhos) e da Nigella (maionese)

Bolinhos:
100g de quinua (usei quinua vermelha)
1 cebolinha, em fatias fininhas
2 colheres (sopa) de salsinha picadinha
1 colher (sopa) de orégano fresco picadinho
30g de parmesão ralado fininho
3 colheres (sopa) de farinha de trigo
sal e pimenta do reino moída na hora
raspas da casca de ½ limão siciliano
1 ovo grande
óleo de canola, para fritar

Maionese de harissa:
5 colheres (sopa) de maionese
1 colher (chá) de harissa (ou a gosto)
1 colher (chá) de suco de limão siciliano

folhas de rúcula e azeite extra-virgem para servir

Bolinhos: coloque a quinua e 200ml de água em uma panelinha, cubra e leve ao fogo até começar a ferver. Abaixe o fogo e cozinhe por cerca de 12 minutos ou até que a água tenha sido absorvida e a quinua esteja macia. Deixe esfriar.
Em uma tigela média, misture a quinua, a cebolinha, a salsinha, o orégano e o parmesão. Junte a farinha, o sal e a pimenta, as raspas de limão e o ovo e misture para incorporar os ingredientes.
Aqueça um fiozinho de óleo em uma frigideira antiaderente em fogo médio-alto e faça montinhos com 2 colheres (sopa) da mistura de quinua, achatando-os levemente. Frite por 2-3 minutos de cada lado ou até que dourem. Repita com a massa restante.
Maionese: coloque todos os ingredientes em uma tigelinha e misture para combinar.

Sirva os bolinhos com a maionese, com a rúcula e um fio de azeite.

Rend.: cerca de 10 bolinhos

Related Posts with Thumbnails