Thursday, December 22, 2016

Arroz doce de eggnog com cerejas assadas e a razão pela qual eu amo tanto o Natal

English version

Eggnog rice pudding with roasted cherries / Arroz doce de eggnog com cerejas assadas

Acho que posso dizer que a principal razão pela qual eu adoro tanto o Natal é porque me lembra demais minha mãe: ela adorava esta época do ano e para mim é impossível esquecer toda a arrumação pela casa ao som do disquinho de músicas natalinas tocando na vitrola. Por isso, decidi encerrar a série de Natal deste ano com uma receita que faço toda vez em que a saudade bate mais forte do que o coração consegue suportar: arroz doce.

Infelizmente a receita não é exatamente a da minha infância – quando meu pai se casou de novo a mulher dele fez questão de destruir e jogar fora tudo o que fora de minha mãe, e os cadernos de receita dela se perderam para sempre –, mas não tem problema: de qualquer forma, esta receita me lembra as tardes de chuva com arroz doce pelando e desenhos animados na TV.

Desta vez servi o arroz doce frio por causa das cerejas assadas que o acompanharam e também adicionei um tiquinho de noz-moscada e conhaque ao arroz, para evocar o sabor de eggnog – ficou bem gostoso e encheu meu coração de alegria.

Desejo a todos vocês um Natal maravilhoso, cheio de amor e felicidade, e um Ano Novo incrível – obrigada por me fazerem companhia todo esse tempo! xx

Arroz doce de eggnog com cerejas assadas
criação minha

- xícara medidora de 240ml

Cerejas assadas:
150g de cerejas frescas
1 ½ colheres (sopa) de açúcar cristal
o suco de ½ laranja grande, espremido na hora
1 pau de canela pequeno

Arroz doce:
½ xícara (110g) de arroz agulhinha
3 xícaras (720ml) de leite integral
½ xícara de leite condensado
1 pitada de sal
½ colher (chá) de noz-moscada ralada na hora - deixe-a soltinha na colher na hora de medir, sem apertar
1 colher (sopa) de conhaque
1 colher (chá) de extrato de baunilha

Comece pelas cerejas: preaqueça o forno a 200°C. Corte as cerejas ao meio e retire os caroços. Transfira as cerejas para um refratário raso com capacidade para 4 xícaras. Junte o açúcar, o suco de laranja e o pau de canela, misture e leve ao forno por cerca de 20 minutos ou até que a mistura esteja borbulhando e o suco reduza bastante. Deixe esfriar completamente e então leve à geladeira.

Enquanto as cerejas estão no forno, prepare o arroz: lave bem o arroz até que a água saia clara. Deixe escorrer até que seque levemente. Transfira para uma panela média, junte o leite, o leite condensado e o sal e leve ao fogo alto, mexendo, até que a mistura comece a ferver. Abaixe o fogo, junte a noz-moscada e o conhaque, e então cozinhe, mexendo para não grudar no fundo, por 20 minutos ou até que o arroz fique macio. Deixe esfriar, cubra e leve à geladeira.
Sirva o arroz doce com as cerejas.

Rend.: 4 porções

Monday, December 19, 2016

Bolinhas de rum e noz moscada e lidando com massa de biscoito num dia quente

English version

Rum nutmeg snowballs / Bolinhas de noz-moscada e rum

Semanas atrás, enquanto fazia a lista de receitas que eu queria fazer para presentear alguns amigos, vi estes biscoitinhos em uma das edições digitais da revista da Martha Stewart (a assinatura que saiu por quase nada). Decidi fazer bom uso do dinheiro gasto e usar a receita – os biscoitos eram bonitinhos e a combinação de sabores me parecia bem gostosa.

Entretanto, estava fazendo biscoitos em um dia bem quente e foi um pesadelo tentar formatar a massa em meias-luas – na hora em que consegui moldar dois a massa já estava ficando mole demais. Coloquei-a de volta na geladeira e resolvi transformar as meias-luas em bolinhas – bolinhas de neve, vejam só. :) No final foi uma boa ideia: os biscoitos ainda assim ficaram lindinhos e deliciosos.

Bolinhas de rum e noz moscada
um nadinha adaptadas da Rainha Martha

- xícara medidora de 240ml

2 xícaras (280g) de farinha de trigo
1 ½ colheres (chá) de noz moscada ralada na hora – deixe-a soltinha na colher na hora de medir, sem apertar
¼ colher (chá) de sal
¾ xícara (170g) de manteiga sem sal, temperatura ambiente
½ xícara (70g) de açúcar de confeiteiro, peneirado – meça, depois peneire
2 colheres (sopa) de rum (Martha usa conhaque)
1 colher (chá) de extrato de baunilha

Para envolver os biscoitos já assados:
½ xícara (70g) de açúcar de confeiteiro, peneirado – meça, depois peneire

Em uma tigela media, misture com um batedor de arame a farinha, a noz-moscada e o sal. Reserve.
Na tigela da batedeira, bata a manteiga e o açúcar de confeiteiro até obter uma mistura cremosa e clara, cerca de 2 minutos. Junte a baunilha e o rum e bata para incorporar – raspe as laterais da tigela ocasionalmente durante todo o preparo da massa. Em velocidade baixa, junte os ingredientes secos e bata somente até incorporar. Divida em duas partes iguais, formate um disco com cada uma delas e embrulhe em filme plástico. Leve à geladeira até firmar, cerca de 1 hora (ou faça de um dia para o outro).

Preaqueça o forno a 180°C. Forre duas assadeiras grandes e rasas com papel manteiga.
Trabalhando com um disco de massa por vez (mantenha o outro na geladeira), faça bolinhas usando 1 colher (sopa) nivelada de massa por biscoito. Arrume-as nas assadeiras preparando deixando 2,5cm entre uma e outra. Leve ao forno até que dourem na base, 16-18 minutos – os biscoitos ficam branquinhos, mesmo, não ganham muita cor no forno. Transfira a assadeira para uma gradinha e deixe esfriar por 5 minutos. Com cuidado, retire os biscoitos do papel e passe-os ainda quente pelo açúcar de confeiteiro, transferindo-os então para a gradinha para que esfriem completamente.

Os biscoitinhos podem ser guardados por até 3 dias em um pote hermético em temperatura ambiente. Passe-os novamente pelo açúcar de confeiteiro antes de servir.

Rend.: cerca de 42 unidades


Thursday, December 15, 2016

Muffins de panetone - para aqueles dias em que não há tempo para (ou vontade de) usar fermento biológico

English version

Panettone muffins / Muffins de panetone

No final de semana passado meu forno trabalhou feito louco: assei diferentes tipos de biscoitos para dar de presente a amigos queridos (um deles foi o pfeffernüsse, meu biscoito de Natal favorito) e também preparei estes muffins de panetone, incrivelmente macios, perfumados e gostosos: eles são a solução perfeita para aqueles dias em que bate uma vontade louca de comer panetone, mas não tenho tempo (e às vezes nem vontade, vamos ser honestos aqui) para trabalhar com fermento biológico.

Usei a mesma combinação de sabores que usara no panetone tradicional – raspas de casca de laranja e limão siciliano, baunilha, Cointreau e Amaretto – e também as mesmas frutas secas, com a adição de damasco. Enquanto eu assava os muffins meu marido veio à cozinha perguntar o que eu estava fazendo, pois o cheiro era fantástico.

Os muffins ficaram extremamente fofinhos e bastante saborosos, e mesmo dois dias depois ainda estavam ótimos – é só guardar bem fechadinhos em um recipiente hermético, o bom e velho tapué. ;) Os muffins também ficam uma delícia tostados com um pouquinho de manteiga por cima – hum!

Muffins de panetone
um tiquinho adaptados das lindezas da farinha King Arthur

- xícara medidora de 240ml

1 laranja grande
1/3 xícara de passas claras
1/3 xícara de passas escuras
1/3 de damascos secos em cubinhos pequenos – pique, depois meça
1/3 xícara de cranberries secas
¼ xícara (60ml) de suco de laranja
2 ¼ xícaras (315g) de farinha de trigo
2 colheres (chá) de fermento em pó
¼ colher (chá) de sal
¼ xícara (56g) de manteiga sem sal, amolecida
2 colheres (sopa) de óleo de canola
½ xícara (100g) de açúcar cristal
raspas da casca de 1 limão siciliano
2 ovos grandes
1 colher (chá) de extrato de baunilha
1 colher (chá) de Cointreau
1 colher (chá) de Amaretto
2 colheres (sopa) de casca de laranja cristalizada picadinha - pique, depois meça
2/3 xícara (160ml) de leite integral, temperatura ambiente
1 ½ colheres (sopa) de açúcar demerara para polvilhar sobre os muffins

Raspe a casca da laranja evitando remover a parte branca – as raspas tem que ser bem fininhas. Transfira as raspas para a tigela da batedeira e reserve. Esprema o suco até obter ¼ de xícara, transfira para uma panelinha e junte as passas, damasco e cranberries. Leve ao fogo alto e quando começar a ferver retire do fogo e deixe esfriar completamente.

Preaqueça o forno a 190°C. Forre uma forma de muffin de 12 cavidades com forminhas de papel.
Em uma tigela grande, misture com um batedor de arame a farinha, o fermento e o sal.
Às raspas de laranja na outra tigela junte a manteiga, o óleo, o açúcar cristal e as raspas de limão siciliano. Bata até obter um creme claro. Raspe as laterais da tigela ocasionalmente. Junte os ovos, um a um, batendo a cada adição. Junte a baunilha, o Cointreau e o Amaretto.
Em velocidade baixa, acrescente os ingredientes secos em três adições, alternando com o leite em duas adições – comece e termine com os ingredientes secos. Raspe novamente as laterais da tigela. Junte a casca de laranja cristalizada e as frutas secas junto com qualquer resquício de suco de laranja e misture.
Divida a massa entre as forminhas de papel – elas ficarão bem cheinhas e os muffins terão topos altos e bonitos. Salpique o açúcar demerara e asse por cerca de 20 minutos ou até que os muffins cresçam e dourem – faça o teste do palito.
Deixe esfriar na forma sobre uma gradinha por 5 minutos e então remova os muffins da forma e transfira para a gradinha. Deixe esfriar completamente.

Rend.: 12 unidades


Monday, December 12, 2016

Panetone

English version

Panetone / Panettone

Apesar de fazer a série de Natal há uns bons anos, há outros muitos eu não fazia panetone – ou chocotone – em casa. Às vezes ganhamos panetone de presente, às vezes o João compra para matar a vontade, mas ele disse que este ano ele queria panetone caseiro. Como eu estava na vibe de Natal decidi fazer: era um sábado chuvoso, eu não queria mesmo sair de casa, então fiz o panetone e assisti a “Carol” (estou ainda tentando entender o auê todo na época dos prêmios de cinema).

Esta é uma adaptação do panetone do Paul Hollywood e ficou muito gostoso – o brioche macio perfumado de cítricos e pontilhado com frutinhas macias e docinhas. Mas diferentemente do brioche do Paul, que ainda fica incrível de um dia para o outro, o panetone ficou um pouco mais pesadão na manhã seguinte – ainda estava saboroso, mas perdeu um pouco no quesito textura. Se a sua família é grande, não se preocupe: tenho certeza de que o danado vai acabar num piscar de olhos. Entretanto, se a sua família for pequenina como a minha e vocês não derem conta do panetone no mesmo dia, não se preocupem: fica maravilhoso como rabanada. ;)

Panetone
um tiquinho adaptado do Paul Hollywood

14g de fermento biológico seco
140ml de leite integral morno
75g de açúcar cristal
500g de farinha de trigo comum
¼ colher (chá) de sal
5 ovos grandes, temperatura ambiente
raspas da casca de 1 laranja
raspas da casca de 1 limão siciliano
1 colher (chá) de extrato de baunilha
1 colher (chá) de Cointreau
1 colher (chá) de Amaretto
200g de manteiga sem sal, amolecida
120g de cranberries secas
120g de passas claras
120g de passas escuras
50g de casca de laranja cristalizada, picadinha

Para pincelar o panetone:
1 ovo batido com um garfo

Na tigela da batedeira planetária, coloque o fermento biológico, o leite e 1 pitada do açúcar. Misture com um garfo e reserve até espumar, uns 5 minutos. Junte a farinha, o sal, o açúcar restante, os ovos, as raspas de casca de laranja e limão siciliano, a baunilha, o Cointreau e o Amaretto. Bata em velocidade baixa usando o batedor em formato de gancho por 2 minutos. Aumente para a velocidade média e bata por mais 6-8 minutos ou até obter uma massa macia.

Junte a manteiga e misture por mais 5-8 minutos, raspando bem as laterais da tigela ocasionalmente – a massa é bem molinha mesmo, tem mais aspecto de massa de bolo do que de massa de pão. Junte as frutas secas e a casca de laranja cristalizada e incorpore-as bem à massa. Transfira a massa para uma tigela grande e pincelada com manteiga. Cubra com filme plástico e leve à geladeira de um dia para o outro, até a massa firmar bem para poder ser moldada.

Prepare uma forma de panetone de 18cm pincelando-a por dentro com manteiga derretida.* Retire a massa do panetone da geladeira, amasse para retirar o excesso de ar e forme uma bola com ela. Transfira para a forma preparada e deixe crescer em temperatura ambiente por 2-3 horas ou até que a massa chegue à beirada da forma.

Preaqueça o forno a 180°C. Pincele o topo do panetone com o ovo batido e asse por cerca de 25 minutos. Baixe a temperatura do forno para 150°C e então asse o panetone por mais 35 minutos ou até que cresça e doure – para testar, enfie um palito longo ou uma faca de lâmina fina no panetone: eles devem sair secos. Cheque o panetone constantemente, pois por causa da grande quantidade de açúcar e manteiga na massa ela pode dourar bastante antes de o panetone estar completamente assado – caso o panetone doure rápido demais, cubra-o de forma frouxa com papel alumínio.
Retire o panetone do forno e então desenforme imediatamente, deixando esfriar completamente sobre uma gradinha.

* usei uma forma redonda de 20cm para assar o meu panetone – fiz um colarinho com uma camada dupla de papel manteiga, dobrada ao meio (para conseguir assim quatro camadas) para ficar bem firme e untei tudo com manteiga derretida (há uma foto da forma preparada no meu Instagram).

Rend: 8-10 porções

Friday, December 09, 2016

Crumble de maçã e gingerbread e finais de semana

English version

Apple gingerbread crumble / Crumble de maçã e gingerbread

Hoje é sexta-feira (graças ao Universo!), ou como eu costumo chamar, o dia oficial em que as pessoas perguntam umas às outras o que farão no final de semana. :D

Falo pelos cotovelos – alguns de vocês que me conhecem pessoalmente já sabem disso – e por sorte tenho um bom relacionamento com praticamente todos do escritório. Às sextas alguns deles vem falar comigo e me perguntam quais são os grandes planos para o final de semana e é engraçado ver a cara deles quando respondo que pretendo cozinhar e assistir à Netflix. :D

Nas tardes de sábado e domingo uma das coisas de que mais gosto de fazer é preparar um crumble com quaisquer frutas que estejam na geladeira ou no freezer para depois me sentar confortavelmente no sofá e ver algum filme ou seriado – isso me relaxa tremendamente e me traz felicidade. Fiz exatamente isso no final de semana passado com as maçãs que eu tinha em casa e como eu ando numa onda natalina acrescentei especiarias à farofinha do crumble – ficou uma delícia e, por isso, divido a receita com vocês hoje.

Crumble de maçã e gingerbread
criação minha

- xícara medidora de 240ml

5 maçãs Granny Smith médias
1 xícara (140g) de farinha de trigo
5 colheres (sopa) de açúcar demerara
½ colher (chá) de pimenta da Jamaica em pó
½ colher (chá) de gengibre em pó
½ colher (chá) de canela em pó
1 pitada de sal
70g de manteiga sem sal, gelada e em cubinhos
6 colheres (sopa) de aveia em flocos

Preaqueça o forno a 180°C.

Descasque as maçãs, remova o miolo e as sementes e corte em cubinhos. Transfira para um refratário raso com capacidade para 4 xícaras (1 litro) – se preferir, faça crumbles individuais dividindo as maçãs entre 4 potinhos refratários de 1 xícara cada.

Em uma tigela média, misture com um batedor de arame a farinha, o açúcar, as especiarias e o sal. Junte a manteiga e esfregue os ingredientes com as pontas dos dedos até obter uma farofa grossa. Com um garfo, incorpore a aveia. Espalhe a farofinha sobre as maçãs e leve ao forno por cerca de 25 minutos ou até que doure e fique crocante.
Sirva com sorvete de baunilha ou creme de leite fresco.

Rend.: 4 porções

Monday, December 05, 2016

Bolo de especiarias e chocolate (gewürzschnitten) - sabores da minha infância em uma receita que eu nunca vira antes

English version

Spiced cake bars (gewürzschnitten) / Bolo de especiarias e chocolate (gewürzschnitten)

Nas minhas buscas todos os anos por receitas de Natal aprendi muitos tipos diferentes de doces, vi diversas fotos lindas e conheci sites e blogs incríveis. Algumas das receitas eram completamente novas para mim, outras eram feitas de sabores que eu reconhecia da minha infância, dos doces que minha avó alemã fazia.

Estas barrinhas deliciosas, uma espécie de bolinho que lembra pão de mel, são facílimas de fazer e eu não as conhecia nem sabia o nome delas: gewürzschnitten; entretanto, o sabor não me era estranho: quando mordi uma delas e senti a combinação de especiarias, chocolate e o limão da cobertura, meu paladar fez uma viagem ao passado. Não sei exatamente o que eu comi na infância que me lembrou tanto assim estas barrinhas, mas o que começou como uma inspiração encontrada neste blog lindo acabou como uma descoberta maravilhosa – a vó Frida não está mais por aqui para que eu lhe pergunte sobre isso, mas posso começar a minha própria tradição e fazer gewürzschnitten todos os dezembros de agora em diante. <3

Bolo de especiarias e chocolate (gewürzschnitten)
um tiquinho adaptado deste blog lindo

- xícara medidora de 240ml

Bolo:
1 ¼ xícaras (175g) de farinha de trigo
¾ xícara (75g) de farinha de amêndoa
2 colheres (sopa) de cacau sem adição de açúcar, peneirado – meça, depois peneire
1 ½ colheres (chá) de fermento em pó
1 pitada de noz moscada ralada na hora
1 pitada de cravo em pó
½ colher (chá) de gengibre em pó
½ colher (chá) de canela em pó
½ colher (chá) de pimenta da jamaica em pó
2 ovos grandes, gemas e claras separadas
1 pitada de sal
¾ xícara (150g) de açúcar cristal, uso dividido
1/3 xícara (75g) de manteiga sem sal, amolecida
1 colher (chá) de extrato de baunilha
1 colher (chá) de Amaretto (opcional)
100ml de leite integral, temperatura ambiente

Glacê:
¾ xícara (105g) de açúcar de confeiteiro, peneirado – meça, depois peneire
2-3 colheres (sopa) de suco de limão siciliano ou taiti

Preaqueça o forno a 180°C. Unte levemente com manteiga uma forma quadrada de 20cm, forre-a com papel manteiga deixando sobrar em dois lados opostos, formando uma espécie de “alça”, e então unte o papel também.

Em uma tigela média, misture com um batedor de arame a farinha de trigo, a farinha de amêndoa, o cacau, o fermento e as especiarias. Reserve.
Em uma tigela pequena, junte as claras e o sal e bata com a batedeira até obter picos suaves. Vá juntando metade do açúcar cristal (75g) aos poucos, batendo sempre, até obter um merengue espesso, sedoso e brilhante. Reserve.

Em uma tigela grande, novamente usando a batedeira, bata as gemas, a manteiga e o açúcar cristal restante até obter um creme claro – raspe as laterais da tigela ocasionalmente. Junte a baunilha e o Amaretto. Acrescente os ingredientes secos em três adições, alternando com o leite em duas adições – comece e termine com os ingredientes secos. Incorpore as claras batidas, misturando gentilmente, de baixo para cima. Espalhe a massa na forma preparada e alise a superfície. Asse por cerca de 20 minutos ou até que o bolo cresça e um palito inserido no centro saia limpo. Deixe esfriar completamente na forma sobre uma gradinha.

Glacê: coloque o açúcar de confeiteiro em uma tigelinha e vá juntando o suco de limão aos poucos, misturando até obter um glacê homogêneo. Espalhe sobre o bolo já frio e deixe secar. Corte em quadradinhos para servir.

Rend.: 16 unidades


Thursday, December 01, 2016

Bolinhas de neve de chocolate e amêndoa para iniciar a série de Natal 2016

English version

Winter snowball cookies / Bolinhas de neve de chocolate e amêndoa

Minha época favorita do ano chegou – é dezembro! \0/

Semana passada montei minha árvore de Natal e espalhei decorações pela casa – isso me fez imensamente feliz. Vejo velas douradas e bonecos de neve quando vou à cozinha beber um copo d’água e o Papai Noel enorme pendurado na minha porta me saúda pela manhã quando estou saindo para o trabalho: gostinho de Natal por aqui. <3

Dias atrás eu e o meu marido estávamos no shopping e percebi que tocavam músicas natalinas – pareciam as mesmas canções do disquinho de Natal que minha mãe tocava à exaustão quando eu era menina. Meus olhos se encheram de lágrimas ao pensar nela, mas algumas eram lágrimas de alegria, tamanho o meu amor por esta época do ano.

Minha série de Natal começa agora com estes biscoitinhos deliciosos e com uma textura incrivelmente leve – fáceis de fazer, podem virar um presentinho gostoso se colocados em um saquinho fechado com uma fita bem bonita.

Bolinhas de neve de chocolate e amêndoa
um tiquinho adaptadas do livro The Italian Baker

- xícara medidora de 240ml

Biscoitos:
2 xícaras (280g) de farinha de trigo
2 colheres (sopa) de cacau em pó, sem adição de açúcar, peneirado – meça, depois peneire
¾ xícara (75g) de farinha de amêndoa
1 pitada de sal
200g de manteiga sem sal, temperatura ambiente
¾ xícara (105g) de açúcar de confeiteiro, peneirado – meça, depois peneire
1 colher (chá) de extrato de baunilha
1 colher (chá) de Amaretto (opcional)

Para envolver os biscoitos:
1 xícara (140g) de açúcar de confeiteiro, peneirado – meça, depois peneire

Preaqueça o forno a 180°C. Forre duas assadeiras grandes e rasas com papel manteiga.

Em uma tigela média, misture com um batedor de arame a farinha de trigo, o cacau, a farinha de amêndoa e o sal. Reserve.
Na batedeira, bata a manteiga e o açúcar de confeiteiro (os 105g) até obter um creme claro – raspe as laterais da tigela ocasionalmente. Junte o extrato de baunilha e o Amaretto e misture. Em velocidade baixa, junte os ingredientes secos e misture apenas até incorporar e uma massa se formar.

Faça bolinhas com 1 colher (sopa) nivelada de massa por biscoito e arrume-as nas assadeiras preparadas deixando 2,5cm entre uma e outra. Asse por 18-20 minutos ou até que os biscoitos dourem bem por baixo. Retire do forno e deixe esfriar nas assadeiras sobre uma gradinha por 5 minutos. Com cuidado, remova os biscoitos do papel e passe-os pelo açúcar de confeiteiro restante, cobrindo-os generosamente. Transfira para a gradinha e deixe esfriar completamente.

Rend.: cerca de 48 unidades

Tuesday, November 22, 2016

Crumble de banana, chocolate e amendoim para confortar um coração tristonho

English version

Banana, chocolate and peanut crumble / Crumble de banana, amendoim e chocolate

Já lhes disse diversas vezes o quanto amo a Internet – este bloguinho nem existiria se não fosse por ela. Por outro lado, as redes sociais às vezes me deprimem um pouco.

Há vezes em que vejo pessoas da minha família compartilhando várias fotos e opiniões e... Sinto que não as conheço. Já conheci, em um passado muito distante, mas a vida mudou tanto que não consigo mais me identificar com tais pessoas – são completos estranhos. Tenho pouquíssimos amigos próximos que considero muito mais minha família do que aqueles conectados a mim por sangue – isso me conforta, traz paz ao meu coração. Sentimentos assim me aquecem quando pensamentos sombrios me invadem, e às vezes também procuro conforto em forma de comida – sei que não é ideal, mas é o que tem pra hoje.

Depois do arroz doce que minha mãe fazia, nada me conforta mais do que um bom crumble, bem quentinho saído do forno regado com creme de leite fresco gelado. Desta vez adicionei farinha de amendoim e cacau à cobertura, criando um combo delicioso e tropical com as bananas.

Crumble de banana, chocolate e amendoim
criação minha

- xícara medidora de 240ml

3 bananas grandes, em rodelinhas de aproximadamente 1cm

Cobertura:
1/3 xícara (46g) de farinha de trigo
¼ xícara (25g) de farinha de amendoim
½ colher (sopa) de cacau em pó, sem adição de açúcar, peneirado – meça, depois peneire
2 colheres (sopa) de açúcar demerara
¼ colher (chá) de fermento em pó
1 pitada de sal
1 ½ colheres (sopa) - 21g - de manteiga sem sal, gelada e picada

Preaqueça o forno a 180°C. Divida as bananas entre 2 refratários com capacidade para 1 xícara (240ml) cada.

Em uma tigela média, misture com um batedor de arame a farinha de trigo, a farinha de amendoim, o cacau, o açúcar, o fermento e o sal. Junte a manteiga e esfregue os ingredientes com as pontas dos dedos até obter uma farofa grossa. Espalhe-a sobre as bananas e leve ao forno por 20-25 minutos ou até a cobertura dourar e ficar crocante.

Sirva com creme de leite fresco ou sorvete de creme.

Rend.: 2 porções

Monday, November 14, 2016

Bolo de morango e ruibarbo com cobertura crumble e Mark Rylance

English version

Strawberry rhubarb buckle / Bolo de morango e ruibarbom com cobertura crumble

Tenho, aos poucos, conseguido ver todos os filmes indicados ao Oscar deste ano – não tem sido uma tarefa muito rápida, mas certamente tem sido bem divertida. :)

Um dos filmes que vi nas últimas semanas foi “Ponte dos Espiões” – fiquei em completo choque quando Mark Rylance foi anunciado como Melhor Ator Coadjuvante e sei que não fui a única. Eu me lembrava dele em “Anjos e Insetos”, um bom filme que vi há uns vinte anos, e nada mais além disso, por isso fiquei bem curiosa pra ver o que ele tinha feito ao lado do sempre ótimo (com exceção de “Filadélfia”) Tom Hanks.

O filme é… OK. História interessante, mas nada de outro mundo (não sou uma grande fã do Spielberg). E a performance de Mark Rylance é rasa e tola – ele deveria embrulhar o seu Oscar em plástico bolha e enviá-lo a Tom Hardy por Fedex. :)

Tenho aqui um coadjuvante bem mais interessante aqui: morangos – diferentemente do Sr. Rylance, seu sabor e aroma trabalham para criar um bolo (um buckle, no original) muito saboroso, em uma linda combinação com ruibarbo. Foi difícil não comer vários quadradinhos de uma só vez - sintam-se avisados. :)

Bolo de morango e ruibarbo com cobertura crumble
um tiquinho adaptado daqui

- xícara medidora de 240ml

Bolo:
115g de morangos, sem os cabinhos e picados
225g de ruibarbo, em pedacinhos de 1cm
¾ xícara (150g) de açúcar cristal, uso dividido
1 xícara (140g) de farinha de trigo
¾ colher (chá) de fermento em pó
1 pitada de sal
85g de manteiga sem sal, amolecida
raspas da casca de 1 limão siciliano pequeno
1 ovo grande
½ colher (chá) de extrato de baunilha
¼ xícara de creme azedo (sour cream)*

Cobertura crumble:
½ xícara (70g) de farinha de trigo
2 colheres (sopa) de açúcar mascavo claro – aperte-o na colher na hora de medir
1 pitada de sal
2 colheres (sopa) (28g) de manteiga sem sal, derretida

Unte com manteiga uma forma quadrada de 20cm, forre-a com papel alumínio deixando sobrar em dois lados opostos, formando “alças” e unte o papel também.
Em uma tigela média, misture o ruibarbo, o morango e ¼ xícara (50g) do açúcar. Deixe macerando por 30 minutos – enquanto isso, preaqueça o forno a 180°C.

Prepare a cobertura crumble: em uma tigela média, misture a farinha, o açúcar e o sal. Com um garfo, incorpore a manteiga, mexendo somente até obter uma mistura parecida com uma farofinha. Deixe na geladeira enquanto prepara o restante da receita.

Bolo: em uma tigela grande, misture com um batedor de arame a farinha, o fermento e o sal. Reserve.
Na tigela da batedeira, bata a manteiga, as raspas de limão siciliano e o restante do açúcar até obter um creme claro e fofo. Junte o ovo e a baunilha e bata bem. Em três adições, acrescente os ingredientes secos, alternando com o creme azedo em duas adições – comece e termine com os ingredientes secos.

Transfira a massa para a forma preparada e alise a superfície. Escorra os morangos e o ruibarbo e descarte o líquido. Arrume as frutas sobre a massa de bolo e então salpique com a farofinha. Asse por 50 minutos ou até que o bolo cresça e doure (faça o teste do palito). Deixe esfriar completamente na forma sobre uma gradinha. Corte em quadradinhos para servir.

* creme azedo (sour cream) caseiro: para preparar 1 xícara de creme azedo, misture 1 xícara (240ml) de creme de leite fresco com 2-3 colheres (chá) de suco de limão ou limão siciliano em uma tigela. Vá mexendo até que comece a engrossar. Cubra com filme plástico e deixe em temperatura ambiente por 1 hora ou até que engrosse um pouco mais (geralmente faço o meu na noite anterior e deixo sobre a pia – com exceção de noites extremamente quentes – coberto com filme plástico; na manhã seguinte o creme fica bem cremoso – leve à geladeira para ficar mais espesso ainda)

Rend.: 16 porções

Thursday, October 20, 2016

Linguine com molho cremoso de tomate, tomilho, alcaparra e bacon

English version

Linguine with creamy tomato, caper, thyme and bacon sauce / Linguine com molho cremoso de tomate, alcaparra, tomilho e bacon

Creio que muitos de vocês me lendo agora recorrem ao pacote de macarrão sempre que precisam colocar comida na mesa rapidinho – eu faço isso com frequência e não tenho vergonha de admitir! :)

Faço macarrão sempre, sim, mas não só por ser rápido: eu e o João adoramos e trata-se de um ingrediente tão versátil, posso combiná-lo a diversos sabores e tipos de molho. Vi esta versão de molho de tomate na revista Olive e era tão simples que tive de provar: o molho é saboroso, o creme de leite fresco diminui a acidez do tomate e as alcaparras dão um toque salgadinho à mistura. Tomilho é minha erva favorita – de novo, tão versátil! – e é uma das que mais gosto de combinar com tomate.

Linguine com molho cremoso de tomate, tomilho, alcaparra e bacon
um tiquinho adaptado da sempre ótima revista Olive

4 fatias de bacon, cortadas em fatias de ½ cm
2 dentes de alho grandes, amassados e picadinhos
6 raminhos de tomilho fresco
1 lata (400g) de tomates pelados picados
2 colheres (chá) de açúcar
sal e pimenta do reino moída na hora
2 colheres (sopa) de alcaparras drenadas – deixe-as de molho em água fria por 15 minutos e então escorra para usar na receita
3 colheres (sopa) de creme de leite fresco
200g de linguine

Em uma panela media em fogo alto, frite o bacon, mexendo ocasionalmente, até que ele fique crocante. Retire o bacon da panela com uma escumadeira e coloque os pedacinhos para secar em papel toalha. Retire o excesso de gordura da panela, deixando 1 colher (sopa) nela – reserve a gordura sobressalente em um recipiente até esfriar. Depois disso, transfira para uma garrafa pet e descarte no lixo – nunca jogue óleo ou gordura no ralo da pia.

Na gordura da panela, refogue o galho por cerca de 1 minuto ou até perfumar. Junte o tomilho e refogue, mexendo, por mais 1 minuto. Acrescente o tomate pelado e amasse com um amassador de batatas para quebrar bem os tomates. Junte o açúcar, tempere com sal e pimenta e então deixe cozinhar com a panela semi-tampada por cerca de 20 minutos, misturando vez ou outra para que não grude no fundo da panela, até o molho espessar.

Enquanto isso, cozinhe o linguine em uma panela com água fervente e sal até que ele esteja al dente.

Ao molho, junte as alcaparras e o creme de leite e então cozinhe por mais 3 minutos. Escorra o linguine e incorpore-o ao molho. Sirva imediatamente salpicado com os pedacinhos de bacon reservados.

Rend.: 2 porções


Friday, October 14, 2016

Bolo de maçã com especiarias

English version

Spiced apple cake / Bolo de maçã com especiarias

Eu lhes contei outro dia sobre como as revistas de receitas que assino me ajudam na minha busca por receitas novas e inspiração para cozinhar – elas realmente são ótimas fontes. Sou assinante de um punhado delas, pois as versões digitais são mais baratas e não há mais o risco de edições perdidas pelo correio (acabei viciando). Havia jurado que não assinaria mais nenhuma revista, mas daí o Zinio me enviou um email com a oferta de receber doze edições da Martha Stewart Living por 5 dólares.... Não resisti. ;)

A edição mais recente da revista celebra o outono no Hemisfério Norte e o Dia de Ação de Graças, então entre tantas tortas lindíssimas (que me fazem lembrar do Richie!) encontrei este bolo de maçã com especiarias, a receita perfeita para a sessão de baking do meu sábado: eu tinha maçãs e creme de leite fresco na geladeira implorando para serem usados. Dei umas mudadinhas na receita e o bolo ficou úmido, macio e delicioso – perfumou o apartamento inteiro por um tempão depois de pronto.

Nunca me canso de bolos de maçã e esta receita é para guardar.

Bolo de maçã com especiarias
Um tiquinho adaptado da revista da tia Martha

- xícara medidora de 240ml

2 maçãs do tipo Granny Smith, cerca de 200g cada
suco de 1 limão taiti ou siciliano
2 xícaras (280g) de farinha de trigo
2 colheres (chá) de fermento em pó
½ colher (chá) de bicarbonato de sódio
½ colher (chá) de sal
1 colher (chá) de canela em pó
½ colher (chá) de gengibre em pó
½ xícara (113g) de manteiga sem sal, derretida e fria
½ xícara (120ml) de óleo de canola
½ xícara de creme azedo (sour cream)*
3 ovos grandes, temperatura ambiente
1 ¼ xícaras (250g) de açúcar cristal
1 colher (chá) de extrato de baunilha
2 colheres (sopa) de açúcar demerara para polvilhar sobre as maçãs

Preaqueça o forno a 180°C. Unte com manteiga uma forma retangular de 20x30cm, forre-a com papel alumínio deixando sobras em dois lados opostos, formando “alças”, e então unte o papel com manteiga também.

Em uma tigela grande, misture com um batedor de arame a farinha, o fermento, o bicarbonato, o sal, a canela e o gengibre. Reserve. Em uma tigelinha, misture a manteiga, o óleo e o creme azedo.

Na tigela da batedeira, com o batedor aramado, bata os ovos até que fiquem claros e comecem a espessar. Junte o açúcar cristal aos poucos, colocando-o pelas laterais da tigela, para que o peso do açúcar não desinfle a mistura – você não quer perder o ar já incorporado aos ovos. Junte a baunilha e então continue batendo até a mistura ficar espessa e brilhante.
Em velocidade baixa, junte os ingredientes secos em duas adições, alternando com a mistura de manteiga/óleo/creme azedo também em duas adições. Misture apenas até incorporar – não bata em excesso. Espalhe a massa na forma preparada e alise a superfície. Arrume as fatias de maçã sobre a massa, apertando-as levemente para que grudem na massa. Salpique com o açúcar demerara e leve ao forno por cerca de 45 minutos ou até que o bolo cresça e doure (faça o teste do palito). Deixe esfriar completamente na forma sobre uma gradinha antes de servir.

* creme azedo (sour cream) caseiro: para preparar 1 xícara de creme azedo, misture 1 xícara (240ml) de creme de leite fresco com 2-3 colheres (chá) de suco de limão ou limão siciliano em uma tigela. Vá mexendo até que comece a engrossar. Cubra com filme plástico e deixe em temperatura ambiente por 1 hora ou até que engrosse um pouco mais (geralmente faço o meu na noite anterior e deixo sobre a pia – com exceção de noites extremamente quentes – coberto com filme plástico; na manhã seguinte o creme fica bem cremoso – leve à geladeira para ficar mais espesso ainda)

Rend.: 18 porções

Thursday, October 06, 2016

Frango assado com manjerona e laranja

English version

Marjoram orange roast chicken / Frango assado com manjerona e laranja

Estava pensando outro dia em como diminuí drasticamente minha compulsão por comprar livros de receita – talvez porque minha carga de trabalho seja muito maior comparada a anos anteriores, talvez porque as revistas que assino preencham a minha gana por inspirações e receitas novas, talvez porque alguns dos livros tenham sido tremendas decepções (sim, estou falando de você, D. Nigella)...

Minha última compra, se não estiver errada, foi em 20 de outubro do ano passado – definitivamente um recorde mundial ou coisa que o valha. :)
Entretanto, quando vi que a Diana Henry lançaria um livro novo, fiquei doida para tê-lo logo em minhas mãos, pois sou fã do trabalho dela, além de ela ser uma fofa e já ter “conversado” comigo no Twitter algumas vezes, dizendo até “obrigada”, assim mesmo, em português. <3

O livro é lindíssimo e as receitas parecem deliciosas - e, como o nome do livro diz, são simples. Adorei isso. Decidi estrear o livro com uma receita de frango e usei a da Diana como inspiração, tornando-a ainda mais simples. O franguinho ficou ótimo, a carne soltando dos ossos facilmente depois de uma noite na geladeira nadando na saborosa marinada.

Talvez eu tenha me curado da minha obsessão por livros de receita, não sei. O que sei é que da próxima vez que a Diana Henry publicar um livro novo estarei com ele no meu tablet no mesmo dia. :)

Frango assado com manjerona e laranja
adaptado do lindo "Simple"

1 punhado de folhas de manjerona fresca, picadas
3 dentes de alho, amassados e depois picados
2 laranjas
3 colheres (sopa) de azeite extra virgem
sal e pimenta do reino moída na hora
4 coxas de frango, com pele

Em uma tigela, misture as folhas de manjerona, o alho, a casca ralada e o suco de 1 laranja, o azeite, o sal e a pimenta. Junte o frango e envolva bem os pedaços na marinada. Cubra com filme PVC (ou faça tudo diretamente em um saco plástico) e leve à geladeira por pelo menos 2 horas (de um dia para o outro é melhor ainda).

Preaqueça o forno a 200°C. Forre uma assadeira com uma camada dupla de papel alumínio e unte-o com azeite. Corte a laranja restante em rodelas e arrume-as sobre o azeite. Arrume os pedaços de frango sobre as fatias de laranja e despeje a marinada por cima. Asse por cerca de 1 hora, ou até que o frango fique bem dourado – o tempo pode variar dependendo do quão assadinho você quiser o frango.

Rend.: 2 porções


Tuesday, September 20, 2016

Mini bolinhos de manteiga de amendoim e framboesa e o magnífico "The Night Of"

English version

Peanut butter and raspberry mini cakes / Mini bolinhos de manteiga de amendoim e framboesa

Semanas atrás lhes contei que desistira de “River” porque havia ficado bem deprimida com o seriado – eu precisava de algo que me deixasse pra cima, e não que me fizesse chorar abraçada ao travesseiro em posição fetal.
Dias depois eu comecei a assistir a “The Night Of” – sim, eu sei, nem eu mesma me entendo, não espero que vocês o façam. :)

Que seriado maravilhoso. Que elenco fantástico – John Turturro nasceu para ser John Stone e o achei ainda mais perfeito para o papel quando li que a primeira escolha para interpretar o advogado fora James Gandolfini, e quando este morreu o papel foi para as mãos de Robert DeNiro. Os deuses do cinema estavam mesmo olhando por este seriado, já que DeNiro não ficou com o papel. Na minha cabeça tanto um quanto o outro não conseguiria fazer justiça a John Stone – sinto que neles falta a fragilidade que é parte importantíssima no personagem. Não consigo imaginar Galdofini, tão grande e com uma voz tão alta e potente, como John Stone.

Não imagino Gandolfini fazendo o que Philip Seymour Hoffman fez com seu Truman Capote.

Amei o seriado como um todo – roteiro, direção, atuações, tudo foi lindamente combinado, de um jeito tão perfeito como eu não via em um bom tempo (“Breaking Bad” me vem à mente, como vocês podem imaginar). Sim, o seriado era extremamente triste, deprimente e sombrio e a cada noite depois de ver os episódios eu ia dormir com eles entranhados nos pensamentos, mas foi tão incrível que não consegui largar como fizera com “River”. Ter um chocolatinho por perto depois do fim de cada episódio de “The Night Of” é a dica que dou a vocês – estes mini bolinhos de amendoim também são uma ideia (e quem não encontrar framboesas por aí pode substituí-las por chocolate amargo picado – uma boa variação da receita).

Mini bolinhos de manteiga de amendoim e framboesa
Um nadinha adaptados deste livro

- xícara medidora de 240ml

3 ovos
200g de manteiga de amendoim do tipo smooth - aqui vale a pena gastar um pouquinho de $$ e comprar manteiga de amendoim importada
½ xícara (100g) de açúcar cristal
3 colheres (sopa) de óleo de canola
½ colher (chá) de bicarbonato de sódio
½ colher (chá) de fermento em pó
1 pitada de sal
100ml de leite integral, temperatura ambiente
1 colher (chá) de extrato de baunilha
3 colheres (sopa) - 30g - de farinha de trigo
cerca de ½ xícara de framboesas, frescas ou congeladas (não descongele antes de usar) – usei 4 em cada bolinho

Preaqueça o forno a 180˚C. Unte generosamente com manteiga e depois enfarinhe uma forma de muffins com 12 cavidades.

Em uma tigela grande, misture bem os ovos e a manteiga de amendoim usando um batedor de arame. Junte o açúcar, o óleo, o bicarbonato de sódio, o fermento em pó, o sal, o leite e a baunilha e misture até homogeneizar. Gentilmente incorpore a farinha usando uma espátula de silicone, misturando de cima para baixo. Divida a massa entre as cavidades da forma e então espalhe as framboesas sobre a massa, pressionando-as bem levemente.

Asse por 20 minutos, ou até que os bolinhos cresçam, estufem e dourem (faça o teste do palito). Deixe esfriar na forma sobre uma gradinha por 5 minutos e então desenforme com bastante cuidado, removendo os bolinhos da forma e transferindo-os para a gradinha. Sirva mornos ou em temperatura ambiente, com sorvete (se desejar).

Rend.: 12 unidades


Monday, September 12, 2016

Brownies do Nigel Slater

English version

Nigel Slater's brownies / Brownies do Nigel Slater

Lembram quando lhes contei sobre receitas que não me saem da mente? Uma delas foi este brownie do Nigel Slater – eu o vi em muitos e muitos blogs, pessoas enlouquecendo com ele. Entretanto, fui adiando e adiando já que o danado pedia bater manteiga e açúcar até obter um creme e na minha cabeça esse método não está associado a brownies (e o fato de que iriam 250g de manteiga e 300g de açúcar em uma forma de 23cm me fez tremer, também).

Chegou o dia em que eu finalmente fiz os brownies e, de acordo com meu marido – aquele que não come doces, porém prova todos os brownies que faço – estes foram os melhores que fiz em muito tempo. Confesso que comigo o sucesso não foi tão retumbante (sorry, Nigel): esforço demais para o resultado obtido. Gosto de receitas de brownie práticas e rápidas e que não requerem planejamento – derreter a manteiga é uma mão na roda quando a gente se esquece de tirá-la da geladeira.

Os brownies são bons, sim, porém nada que eu faria novamente, entretanto meu marido falou tanto deles que decidi dividir a receita com vocês. Diminuí um tiquito o açúcar (pois não tinha chocolate 70% em casa), dobrei a quantidade de chocolate picado na massa e usei uma forma de 20x30cm – quando vi a abundância de massa na tigela da batedeira descartei rapidinho a assadeira de 23cm.

Brownies do Nigel Slater
um nadinha adaptados do Nigel, receita encontrada aqui

200g de chocolate amargo, bem picadinho – usei um com 53% de cacau
60g de farinha de trigo
60g de cacau em pó, sem adição de açúcar, peneirado
½ colher (chá) de fermento em pó
1 pitada de sal
250g de manteiga sem sal, amolecida
250g de açúcar cristal
100g de chocolate amargo ou meio amargo picado grosseiramente, para incorporar na massa do brownie – usei um com 53% de cacau
3 ovos grandes + 1 gema, batidos ligeiramente com um garfo
1 colher (chá) de extrato de baunilha

Preaqueça o forno a 180°C. Unte levemente com manteiga uma forma retangular de 20x30cm, forre-a com papel alumínio deixando sobras em dois lados opostos, e então unte o papel também.
Coloque os 200g de chocolate bem picadinho para derreter em banho-maria, sem deixar o fundo da tigela tocar a água. Retire do fogo e deixe esfriar. Em outra tigela pequena, misture a farinha, o cacau, o fermento e o sal com um batedor de arame. Reserve.

Na tigela da batedeira, bata a manteiga e o açúcar até obter um creme claro e fofo. Raspe as laterais da tigela ocasionalmente. Junte os ovos aos poucos e vá batendo. Raspe as laterais da tigela após cada adição. Junte a baunilha. Em velocidade baixa, junte o chocolate derretido. Com uma espátula de silicone, incorpore os ingredientes secos e o chocolate picado – a massa fica bem espessa. Espalhe-a uniformemente na assadeira e alise a superfície. Asse por cerca de 30 minutos ou até que o brownie cresça levemente e a superfície esteja com uma casquinha, mas ainda molinho por baixo (faça o teste do palito: ele deve sair úmido, com massa molinha nele, mas não massa crua). Deixe esfriar completamente na forma sobre uma gradinha. Corte em quadradinhos para servir.

Rend.: 24 porções

Saturday, August 13, 2016

Financier gigante de laranja e ruibarbo, um seriado, e coisas bonitas

English version

Orange rhubarb giant financier / Financier gigante de laranja e ruibarbo

Sou oficialmente uma molenga. :)

Por dias a fio estava chorando fácil e me sentindo super emotiva. Daí decidi começar a ver algum seriado novo, mas não poderia ser “Stranger Things”, pois de tanto ouvir falar eu já estava de bode (sem contar todos os spoilers nas redes sociais, por que as pessoas fazem isso?).

Optei por “River” por adorar Stellan Skarsgård desde os tempos em que ele tinha bastante cabelo em “Ondas do Destino”. Vi o piloto e sim, é um seriado excelente, mas fiquei tão deprimida no final do primeiro episódio que desisti de ver o segundo; Virei para o meu marido e disse: “vamos ver um episódio de ‘The Blackist’ agora, por favor?” – eu precisava das tiradas espirituosas de Raymond Reddington para melhorar o meu humor.

Coisas bonitas também melhoram o meu humor e eu me senti incrivelmente feliz quando o João chegou em casa com uma bandejinha de ruibarbo – ele sabe mesmo quais são os meus tipos preferidos de presente. ;)

Acabei fazendo duas receitas com o ruibarbo, tão intensamente vermelho e azedinho, e ambas ficaram deliciosas, mas divido hoje com vocês a mais bonita delas: o financier gigante que fiz usando uma forma retangular de torta – fiquei muito satisfeita quando o tirei do forno, estava tão lindo!

Usei a receita de friand do Bill Granger, aquela que já funcionou tão bem com cerejas frescas e peras, e juntei raspas de laranja para dar um toque cítrico que eu tanto amo. Ficou delicioso, com uma textura ótima e lindíssimo – provei uma fatia dele com uma xícara de café enquanto via Red Reddington e fiquei feliz de novo.

Financier gigante de laranja e ruibarbo
adaptado dos friands do Bill Granger

- xícara medidora de 240ml

140g de ruibarbo cortado em palitos de aproximadamente 8x1cm
2 colheres (sopa) de açúcar cristal
Raspas da casca de 2 laranjas
1 xícara + 2 colheres (sopa) - 160g - de açúcar de confeiteiro, peneirado– meça, depois peneire
1 xícara (100g) de farinha de amêndoa
½ xícara (70g) de farinha de trigo
1 pitada de sal
6 claras
½ xícara (113g) de manteiga sem sal, derretida e fria
2 colheres (chá) de Cointreau – opcional

Coloque o ruibarbo em uma tigela e salpique com o açúcar cristal. Misture levemente e deixe macerar por 30 minutos.

Preaqueça o forno a 180°C. Unte generosamente com manteiga uma forma de torta retangular de 30x10cm (melhor se tiver fundo removível, assim fica mais fácil desenformar o financier sem estragar).

Em uma tigela grande, misture as raspas de laranja com o açúcar de confeiteiro e esfregue com as pontas dos dedos até o açúcar ficar aromatizado. Junte a farinha de amêndoa, a farinha de trigo e o sal e misture com um batedor de arame. Acrescente as claras e misture apenas até incorporar. Acrescente a manteiga e o Cointreau (se for usar) e incorpore.

Deseje a massa na forma preparada e alise a superfície. Escorra o ruibarbo e arrume-o sobre a massa, um palito ao lado do outro, sem pressionar. Asse por cerca de 30 minutos ou até que cresça e doure (faça o teste do palito). Deixe esfriar na forma sobre uma gradinha. Desenforme com cuidado para servir.

Financiers são mais gostosos no dia em que são preparados, porém podem ser guardados em um recipiente hermético em temperatura ambiente por até 2 dias.

Rend.: 8-10 porções

Thursday, August 04, 2016

Bolo de limão, coco, sementes de papoula e mirtilo e receitas que não saem da minha cabeça

English version

Lime, coconut, poppy seed and blueberry cake / Bolo de limão, coco, sementes de papoula e mirtilo

Algumas receitas ficam na minha cabeça por meses, às vezes anos: eu as vejo uma, duas, cinco vezes, e não as faço por uma porção de motivos. Depois de um bom tempo, as vejo novamente e já não lembro mais se as fiz ou se ainda são parte da minha (imensa) lista mental de receitas a serem testadas – acho que depois de dez anos de blog é natural. ;)

Vi este bolo na revista Good Food muitos meses atrás, e depois o vi novamente umas duas outras vezes. Adorei a ideia de juntar coco e mirtilos, mas sempre que via a receita me faltava um ou outro ingrediente. Meses se passaram e finalmente tinha um punhado de mirtilos no freezer, mas somente metade do que a receita pedia, por isso resolvi dar uma mexida nela, adicionei raspas de casca de limão taiti e sementes de papoula e em vez de incorporar os mirtilos à massa eu os salpiquei por cima do bolo antes de levá-lo ao forno. O resultado foi um bolo úmido e macio, com um delicioso toque cítrico e com pequenas bolhas de mirtilo aqui e acolá – modéstia à parte, minhas alterações na receita deram muito certo (e eu posso riscá-la da minha lista mental). ;)

Bolo de limão, coco, sementes de papoula e mirtilo
adaptado da ótima revista Good Food magazine

- xícara medidora de 240ml

2 xícaras (280g) de farinha de trigo
2 colheres (chá) de fermento em pó
2 colheres (sopa) de sementes de papoula
1 pitada de sal
½ xícara (50g) de coco ralado sem adição de açúcar
1 xícara (200g) de açúcar cristal
raspas da casca de 2 limões taiti
1 xícara (240ml) de óleo de canola
3 ovos
1 colher (chá) de extrato de baunilha
175ml de leite integral, temperatura ambiente
½ xícara (70g) de mirtilos, frescos ou congelados – se usar congelados, use diretamente do freezer, sem descongelar antes

Preaqueça o forno a 180°C. Unte generosamente com manteiga e enfarinhe uma forma de furo central (tipo Bundt) com capacidade para 8 xícaras de massa.

Em uma tigela média, misture com um batedor de arame a farinha, o fermento, o sal, as sementes de papoula e o coco. Reserve.
Em uma tigela grande, junte o açúcar e as raspas de casca de limão e esfregue com as pontas dos dedos até que o açúcar fique aromatizado. Junte o óleo, os ovos e a baunilha e misture com um batedor de arame. Com uma espátula de silicone e misturando delicadamente, de baixo para cima, incorpore os ingredientes secos reservados em três adições alternando-os com o leite (este em duas adições) – comece e termine com os ingredientes secos.
Transfira a massa para a forma preparada e alise a superfície. Salpique a massa com os mirtilos e asse o bolo por 50-60 minutos ou até que doure e cresça (faça o teste do palito). Deixe esfriar na forma sobre uma gradinha por 20 minutos, e então desenforme sobre a gradinha com cuidado. Deixe esfriar completamente.

Rend.: 8-10 porções

Wednesday, July 27, 2016

Cookies de aveia, doce de leite e gotinhas de chocolate e dias sensíveis

English version

Oatmeal dulce de leche choc chip cookies / Cookies de aveia, doce de leite e gotinhas de chocolate

Não sei por que, mas ando bem sensível nos últimos dias – até achei que fosse TPM, mas não é.

Vi uma foto de um pai brincando com as duas filhas pequenas em uma banheira no meio de escombros – alguém compartilhou no Facebook – e chorei de soluçar. Não estava tendo um dia bom, e quando vi aquelas crianças brincando em um lugar completamente destruído pela guerra me senti tão insignificante... Meus problemas não eram nada comparados àquilo.

Ontem à noite vi o incrível discurso de Michelle Obama e as lágrimas vieram com força – que mulher maravilhosa, gente. As palavras dela tocaram o meu coração de tantas maneiras! Meu marido estava na cozinha preparando o jantar e ficou preocupado, achando que havia acontecido alguma coisa – não, não, eu só estava vendo Michelle sendo fantástica.

Minutos atrás, quando procurei esta receita e comecei a escrever o post, pensei no meu sobrinho e no quanto ele tinha adorado estes cookies: foi só lembrar de sua mãozinha fofa segurando os biscoitos que pronto, lá vieram as lágrimas outra vez. Ultimamente, é bem verdade, tudo relacionado ao Pinguinho me faz chorar: quando estou com ele, observando-o descobrir o mundo, penso em minha mãe e no quanto ela adoraria compartilhar estes momentos conosco se estivesse viva. Meu sobrinho é uma criança esperta – ele tem longas conversas conosco, apesar de nem sempre entendermos tudo o que ele fala – e ele é extremamente carinhoso: eu ganho muitos beijos e abraços, além de ele me chamar de “mãe” vez ou outra. Fico emocionada sempre que penso em D. Terezinha e no quanto ela amaria seu neto. Chorei bastante ultimamente, algumas lágrimas foram de alegria, outras foram de tristeza. É a vida, não?

Estes são os cookies de aveia e passas da Martha que foram transformados em algo um tantinho diferente: enquanto separava os ingredientes para prepará-los, topei com o doce de leite que havia sobrado do petit gateau que postei outro dia. Decidi adicionar uma boa quantidade à massa dos biscoitos – cortei um pouco o açúcar da receita – e substituí as passas por gotinhas de chocolate meio amargo, já que este ingrediente vai tão bem com doce de leite.

Os cookies ficaram uma delícia e eu não fui a única a achar isso, não. ;)

Cookies de aveia, doce de leite e gotinhas de chocolate
Um tiquinho adaptados da deusa Martha S.

- xícara medidora de 240ml

2 xícaras (280g) de farinha de trigo
¼ colher (chá) de sal
½ colher (chá) de canela em pó
1 colher (chá) de fermento em pó
1 colher (chá) de bicarbonato de sódio
1 xícara (226g) de manteiga sem sal, temperatura ambiente
¾ xícara (130g) de açúcar mascavo claro – aperte-o na xícara na hora de medir
½ xícara (100g) de açúcar cristal
½ xícara (150g) de doce de leite – usei leite condensado cozido na panela de pressão
1 colher (chá) de extrato de baunilha
2 ovos grandes
3 xícaras (240g) de aveia em flocos
1 xícara (165g) de gotas de chocolate – as que usei tem 53% de cacau

Preaqueça o forno a 180°C. Forre duas assadeiras grandes e rasas com papel manteiga.

Em uma tigela média, misture com um batedor de arame a farinha, o sal, a canela, o fermento e o bicarbonato de sódio. Reserve.

Na tigela da batedeira, bata a manteiga e os açúcares até obter um creme claro. Junte o doce de leite e a baunilha e bata para incorporar. Raspe as laterais da tigela ocasionalmente. Junte os ovos, um a um, batendo a cada adição. Acrescente os ingredientes secos da tigela média e misture em velocidade baixa somente até incorporar. Ainda em velocidade baixa, junte a aveia e as gotas de chocolate.

Coloque porções de 2 colheres (sopa) niveladas de massa por biscoito nas assadeiras preparadas, deixando 5cm entre uma e outra. Asse por 12-15 minutos ou até que os biscoitos dourem bem nas extremidades. Deixe esfriar completamente nas assadeiras.

Guarde os biscoitos em um recipiente hermético em temperatura ambiente por até 5 dias.

Rend.: cerca de 28 unidades

Wednesday, July 20, 2016

Muffins de banana e amendoim

English version

Banana peanut muffins / Muffins de banana e amendoim

Por mais que eu tente me ater aos ingredientes que já tenho em casa na hora de fazer meus docinhos, nem sempre consigo: há vezes em que não consigo resistir às frutas no mercado, ou a comprar mais um pouco de chocolate ou um vidro de geleia (já fui muito pior no passado, se serve de consolo). :)

É como comprar outro livro quando não se está nem perto de terminar de ler os que já se tem (ainda bem que isso eu já não faço mais). Mas os ingredientes... Às vezes, me rendo a eles. :)

Final de semana passado, entretanto, ao abrir o freezer para pegar uma porção de caldo de legumes caseiro dei de cara com algumas bananas. Como havia uma outra madura na fruteira, decidi que faria algo com elas. A ideia inicial era um bolo, mas depois mudei para muffins ao ver esta receita na revista Olive – eu tinha todos os ingredientes em casa, me senti uma vencedora. :D

Além de usar as bananas, também pude usar um pouco mais do meu pote gigante de manteiga de amendoim, os amendoins restantes desta receita e a farinha de amendoim que vi no Santa Luzia tempos atrás (e que é claro que eu trouxe para casa – ao contrário da maioria das coisas lá, ela era baratinha). :)
Não se preocupe caso não tenha a farinha de amendoim – a receita original pede farinha de amêndoa, dá pra usar ambas.

Muffins de banana e amendoim
um nadinha adaptados da sempre ótima revista Olive

- xícara medidora de 240ml

1 ¾ xícaras (245g) de farinha de trigo
2 ¾ colheres (chá) de fermento em pó
¼ colher (chá) de sal
3 colheres (sopa) de farinha de amendoim
1/3 xícara + 1 colher (sopa) - 78g - de açúcar demerara
3 bananas maduras, 2 amassadas com um garfo e 1 picada
1/3 xícara generosa (100g) de manteiga de amendoim do tipo “smooth”
2 ovos
½ xícara (120ml) de buttermilk*
½ colher (chá) de extrato de baunilha
1 punhado de amendoins torrados (não tem problema se forem salgados)

Preaqueça o forno a 200°C. Forre uma forma de muffin de 12 cavidades com forminhas de papel.

Em uma tigela grande, misture bem com um batedor de arame a farinha de trigo, o fermento, o sal, a farinha de amendoim e o açúcar. Reserve.
Em uma tigela média, misture bem as 2 bananas amassadas, a manteiga de amendoim, os ovos, o buttermilk e a baunilha. Despeje sobre os ingredientes secos e misture levemente com um garfo, sem misturar demais – massa de muffin não é lisa como massa de bolo e se misturar demais os muffins ficarão duros. Incorpore a banana picada e então distribua a massa entre as forminhas de papel – elas ficarão bem cheinhas e os muffins terão topos altos e bonitos. Salpique os amendoins sobre a massa crua e aperte levemente com a ponta dos dedos para fixá-los na massa.

Asse por cerca de 20 minutos ou até que os muffins cresçam e dourem – faça o teste do palito. Deixe esfriar na forma sobre uma gradinha por 5 minutos e então desenforme com cuidado, transferindo-os para a gradinha. Sirva mornos ou deixe esfriar completamente.

* para fazer 1 xícara de buttermilk em casa: coloque 1 colher (sopa) de suco de limão em uma xícara medidora de 240ml, complete com leite integral em temperatura ambiente e aguarde 10 minutos para sorar; use todo o conteúdo da xícara na usa receita

Rend.: 12 unidades

Tuesday, July 12, 2016

Petit gateau de doce de leite - uma receita fácil + um filme maravilhoso

English version

Dulce de leche molten cakes / Petit gateau de doce de leite

Tenho uma mania péssima e acho que alguns de vocês a compartilham comigo: apesar de haver centenas de filmes ótimos para serem vistos eu sempre acabo revendo os mesmos filmes várias e várias vezes. :)

Há vezes, entretanto, em que rever filmes é necessário: Joao ainda não tinha assistido a “Whiplash” e como este foi o melhor filme que vi ano passado fiquei bem contente em rever, desta vez com ele. Joao amou – eu acho que “Whiplash” é o tipo de filme incrível que não dá para elogiar sem usar um palavrão. :D
Assisti novamente a J.K. Simmons ser maravilhoso além da conta – ele deu uma de Cate Blanchett e levou todos os prêmios por este papel, fez a rapa mesmo, incluindo um dos Oscar mais merecidos da História.

Eu já gostava dele antes – sou fã fervorosa de “Law & Order”, né, gente – mas não sabia que ele era capaz de ser tão fantástico. Que bela surpresa.

Surpresa parecida eu tive com a receita de hoje: com pouquíssimos ingredientes e um modo de preparo de minutos, não achei que estes bolinhos ficariam tão bons – bem, eu estava errada: eles ficaram deliciosos e foram tão fáceis de fazer que me vejo repetindo a receita à exaustão – do mesmo jeito que me imagino revendo “Whiplash” pelo menos uma vez por ano de agora em diante. :D

Dulce de leche molten cakes / Petit gateau de doce de leite

Petit gateau de doce de leite
da sempre maravilhosa revista Donna Hay

- xícara medidora de 240ml

2 ovos
2 gemas
1 colher (chá) de extrato de baunilha
1 xícara (300g) de doce de leite
4 colheres (sopa) - 40g - de farinha de trigo
1 pitada de sal

Preaqueça o forno a 220°C. Unte generosamente com manteiga 6 forminhas de muffin ou mini bolo (usei umas de bombocado) com capacidade para 120ml cada.

Coloque os ovos, as gemas e a baunilha na tigela da batedeira e bata até obter um creme claro e espesso. Junte o doce de leite e bata em velocidade baixa até incorporá-lo. Gentilmente, com uma espátula de silicone e misturando de baixo para cima, incorpore a farinha e o sal – a massa é bem leve e parece uma espuminha.
Divida a massa entre as forminhas preparadas e leve ao forno por 6-8 minutos ou somente até que inflem, porém ainda estejam molinhos no centro. Deixe-os na forminha por 1 minuto e então, com cuidado, passe uma faquinha nas laterais das forminhas para soltar os bolos. Inverta-os em pratinhos e sirva imediatamente com sorvete.

Rend.: 6 unidades

Monday, July 04, 2016

Bolo de amêndoa, laranja e iogurte com cobertura de iogurte e chocolate branco e dez anos de blog

English version

Bolo de amêndoa, laranja e iogurte com cobertura de iogurte e chocolate branco

Planejara para hoje ter feito um bolo bem lindo, de camadas, no capricho mesmo, e um post igualmente bonito, para comemorar o que para mim é algo extremamente especial: os dez anos deste blog. Dez anos escrevendo por aqui, dez anos tendo vocês comigo, carinho de monte vindo daí, felicidade de monte aqui do meu lado. A cada post um pouquinho de mim e uma troca deliciosa com quem lê o TK.

A gente faz planos, a vida ri da gente. :)

Não teve bolo de camada, não teve post bonito, teve sim um bolo simples, porém muito saboroso, e post rápido, pois o ritmo no trabalho anda bem intenso, mas não poderia deixar a data passar em branco. Fica aqui um beijo enorme para quem me acompanha e um obrigada gigantesco pela companhia durante todo este tempo – eu me sinto privilegiada por ter começado este blog sem pretensão alguma e ele ter se tornado um canal de comunicação com tanta gente bacana.

Feliz aniversário, Technicolor Kitchen! <3


Bolo de amêndoa, laranja e iogurte com cobertura de iogurte e chocolate branco
Um tiquinho adaptado do sempre ótimo Bill Granger

- xícara medidora de 240ml

Bolo:
1 xícara + 1 colher (sopa) - 150g - de farinha de trigo
½ xícara (50g) de farinha de amêndoa
1 ½ colheres (chá) de fermento em pó
1 pitada de sal
1 xícara (200g) de açúcar cristal
raspas da casca de 2 laranjas
2 ovos
170g (1 potinho) de iogurte natural integral
½ colher (chá) de extrato de baunilha
2 colheres (chá) Cointreau (optional)

Cobertura:
¼ xícara (60g) de iogurte natural, temperatura ambiente
100g de chocolate branco, derretido – deixe esfriar levemente
2 colheres (sopa) de açúcar de confeiteiro
¼ xícara (35g) de amêndoas inteiras, tostadas, frias e então picadas grosseiramente

Preaqueça o forno a 180°C. Unte com manteiga uma forma redonda de 20cm de diâmetro, forre o fundo com um círculo de papel manteiga e unte-o também.

Bolo: em uma tigela média, misture com um batedor de arame a farinha de trigo, a farinha de amêndoa, o fermento e o sal. Reserve.
Na tigela da batedeira, junte o açúcar e as raspas de laranja e esfregue com as ponta dos dedos até que o açúcar fique aromatizado. Junte os ovos e bata com a batedeira até que fique claro e espesso. Junte a baunilha e o Cointreau (se usar). Em velocidade baixa, incorpore o iogurte. Com uma espátula de silicone, incorpore os ingredientes secos. Despeje na forma preparada e leve ao forno por cerca de 40 minutos, ou até que cresça e doure (faça o teste do palito). Deixe esfriar na forma sobre uma gradinha.

Cobertura: com um batedor de arame, misture o iogurte ao chocolate até homogeneizar. Peneire o açúcar sobre a mistura e incorpore. Cubra com filme plástico e leve à geladeira por 20 minutos ou até firmar para que possa ser espalhado sobre o bolo sem escorrer demais. Desenforme o bolo e remova o papel com cuidado. Transfira o bolo para um prato de servir e espalhe a cobertura por cima dele. Salpique com as amêndoas antes de servir.

Rend.: 8 porções

Saturday, June 25, 2016

Bolo de maçã com farinha de centeio e gosto não se discute

English version

Apple rye cake / Bolo de maçã com farinha de centeio

Para mim, parte do processo de crescer foi entender que gosto não se discute: eu costumava ser bastante enfática sobre as coisas de que gosto – e às vezes ainda sou –, mas tenho tentado não ser tão chata. Até certa idade eu costumava achar que as coisas das quais eu gostava eram melhores do que as coisas das quais os outros gostavam – não mais. Pelo menos tento não ser assim (reparem que digo “tento”, não que consigo). :)

Acho que lhes contei um tempão atrás que estava adorando a banda Ra Ra Riot e recentemente descobri que eles tinham um novo álbum no Spotify (nem sei quando foi lançado, já que ultimamente venho lutando para equilibrar trabalho + projetos pessoais, não me sobra muito tempo para me atualizar sobre tanto assunto). Acabei googlando o tal álbum e descobri um texto de um cara que parece tê-lo odiado, reclamando que o som da banda parece algo saído dos anos 80 e que eles parecem possuídos pelo Journey na faixa “Call Me Out” – eu achei graça e pensei: “bem, esta é uma das razões pelas quais eu gosto da banda e ‘Call Me Out’ é a minha canção favorita deste álbum”. Realmente, gosto não de discute. :D

Talvez muitos (ou talvez apenas alguns?) de vocês não vão gostar do bolo que trago hoje porque trata-se de um bolo bem denso e úmido, e a farinha de centeio dá um retrogosto amendoado a ele – se vocês me perguntaram, eu amei o bolo justamente por causa de tudo isso. Questão de gosto, mesmo – ou vontade do momento, sei lá. Quem estiver com vontade de comer um bolo leve e fofinho, sugiro um passeio pelo índice de receitas do blog – e quem estiver a fim de um bolo mais pesadão, porém muito gostoso, sugiro um pulo ao mercadinho para comprar maçãs. ;)

Bolo de maçã com farinha de centeio
um tiquinho adaptado da Lucy Cufflin

- xícara medidora de 240ml

1/3 xícara (75g) de manteiga sem sal
¾ xícara (150g) de açúcar demerara
1/3 xícara (80ml) de leite integral
2 maçãs Granny Smith, descascadas e raladas grosseiramente
1 ovo grande
½ colher (chá) de extrato de baunilha
½ xícara (70g) de farinha de trigo
½ xícara (70g) de farinha de centeio
½ xícara (50g) de farinha de amêndoa
2 ½ colheres (chá) de fermento em pó
½ colher (chá) de canela em pó
1 pitada de sal
1 ½ colheres (sopa) de aveia em flocos, para salpicar na massa do bolo

Preaqueça o forno a 180°C. Unte com manteiga uma forma de bolo inglês com capacidade para 5 xícaras de massa, forre-a com papel manteiga e unte-o também.
Junte a manteiga, o açúcar e o leite em uma panelinha e leve ao fogo médio até o açúcar dissolver a manteiga derreter. Desligue o fogo e deixe esfriar. Em uma tigela grande, misture com um batedor de arame as farinhas, o fermento, a canela e o sal. Junte os ingredientes da panela, as maçãs, o ovo e a baunilha e misture até homogeneizar. Transfira para a forma preparada, alise a superfície e salpique com a aveia.

Leve ao forno por cerca de 40 minutos ou até que o bolo cresça e doure – faça o teste do palito. Deixe esfriar na forma sobre uma gradinha por 25 minutos, e então desenforme e transfira para a gradinha para que esfrie completamente. Retire com cuidado o papel e sirva.

Rend.: 8 porções

Tuesday, June 21, 2016

Linguine com molho de tomate e chorizo

English version

Linguine with chorizo tomato sauce / Linguine com molho de tomate e chorizo

Apesar de não ter tido tempo de postar regularmente como eu gostaria, as receitas em casa andam a todo vapor – família e amigos agradecem. ;)

As comidas vão bem, mas o ritmo no trabalho está intenso e por isso ando exausta – dias atrás tive uma prova disso: estava vendo uma reprise de “Law & Order: Criminal Intent” (vocês sabem o quanto adoro esse seriado!) e levei um bom tempo (um bom tempo mesmo) para reconhecer Carrie Preston no episódio; eu tinha certeza de que a conhecia de algum lugar, mas sem o cabelo vermelhão da Arlene meu cérebro demorou bastante para processar a informação. :D

E falando sobre intensos tons de vermelho, posso lhes apresentar ao prato que fiz no final de semana passado e que fez o maior sucesso com o João? A ideia inicial era fazer o bom e velho bolonhesa, mas quando chegamos ao mercado o moedor de carne havia quebrado. Decidi, então, fazer um molho ao sugo mesmo, mas quando abri a geladeira para pegar a cebola e o alho dei de cara com um pedaço de chorizo: piquei em cubinhos e os usei para substituir a carne moída. Um tantinho de xerez para deixar as coisas mais espanholas, um punhado de manjerona – erva que adoro combinar com carne de porco, acho que vão super bem juntas – e o almoço estava servido.

Linguine com molho de tomate e chorizo
criação minha

- xícara medidora de 240ml

1 ¼ xícaras (175g) de chorizo macio do tipo espanhol*, em cubinhos pequenos – corte, depois meça
½ cebola grande, picadinha
2 dentes de alho grandes, amassados e picadinhos
2 colheres (sopa) de xerez – opcional, pode ser substituído por vinho tinto
1 ½ colheres (sopa) de extrato de tomate
1 lata de 400g de tomates pelados picados
1 colher (sopa) de açúcar
sal e pimento do reino moída na hora
2 folhas de louro
1 punhado de folhas de manjerona fresca
300g de linguine ou outra massa longa da sua preferência
parmesão ou pecorino, para servir

Aqueça uma panela media em fogo médio-alto. Junte o chorizo e vá fritando até que ele solte óleo e comece a ficar crocante. Junte a cebola e refogue até amaciar, 4-5 minutos, mexendo algumas vezes para que não grude no fundo da panela. Junte o alho e refogue até perfumar, cerca de 1 minuto.
Acrescente o xerez e cozinhe até que reduza, uns 2 minutos. Acrescente o extrato de tomate, cozinhe por 1 minuto, e então junte os tomates pelados e amasse-os com um amassador de batatas ou com as costas da colher de pau. Encha a lata pela metade com água e junte ao molho. Acrescente o açúcar, tempere com sal e pimenta – cuidado, pois o chorizo já é salgado e apimentado – e misture. Junte as folhas de louro e a manjerona e cozinhe em fogo baixo, semi-tampado, mexendo algumas vezes para que não grude no fundo da panela, por cerca de 20 minutos ou até que o molho engrosse.

Enquanto isso, cozinhe o linguine em uma panela grande de água fervente e salgada até que fique al dente, cerca de 10 minutos (confira as instruções na embalagem). Escorra o macarrão e envolva-o no molho. Sirva imediatamente polvilhado com parmesão, pecorino, ou para um toque ainda mais espanhol: manchego.

* uma ideia para quem não encontra chorizo: creio que a receita ficaria muito saborosa com linguiça defumada acrescida de páprica picante e/ou defumada

Rend. 3 porções

Friday, June 10, 2016

Cookies de paçoca e uma mente que vaga por aí

English version

Nutty butter cookies / Cookies de paçoca

Dias atrás, enquanto eu dirigia para casa, no meio de um engarrafamento gigantesco, comecei a ouvir The Wallflowers e foi como viajar no tempo: no longínquo ano de 1996 passei meses ouvindo “Bringing Down the Horse”, um CD que comprei por ter me apaixonado por “One Headlight” logo na primeira vez em que ouvi a música.

Pois lá estava eu, dirigindo pela chuva ouvindo “6th Avenue Heartache” (minha segunda canção preferida daquele álbum) e minha mente saiu por aí, vagando, e quando me dei conta estava pensando no clipe da música, tão lindo, dirigido pelo David Fincher, um dos meus diretores mais queridos.

Uma banda, uma canção, um clipe, um diretor favorito.

Uma coisa boa levando a outra, como a compra do enorme pote de manteiga de amendoim que levou a um bando de receitas com o ingrediente, como o fudge facim, facim que postei outro dia, e hoje estes cookies deliciosos – a aveia é tostada na manteiga antes de ir para a massa e isso, combinado ao açúcar demerara que optei por usar no lugar do branco, dá um sabor caramelado muito gostoso aos biscoitos. Também juntei um pouco de farinha de trigo integral à receita, para acentuar o sabor amendoado.

Dividi os biscoitos com amigas do trabalho e o filho de uma delas, tão fofo, do alto de sua sabedoria dos sete anos de idade, batizou os cookies de “biscoitos de paçoca” – como achei a ideia do João Gabriel simplesmente perfeita, resolvi adotar o nome dado por ele. :)

Cookies de paçoca
um nadinha adaptados da sempre ótima Martha

- xícara medidora de 240ml

¾ xícara (170g) de manteiga sem sal, amolecida – uso dividido
1 xícara (90g) de aveia em flocos
1 xícara (140g) de farinha de trigo
2 colheres (sopa) de farinha de trigo integral
1 colher (chá) de bicarbonato de sódio
1 pitada de sal
1/3 xícara (67g) de açúcar demerara
½ xícara (88g) de açúcar mascavo claro – aperte-o na xícara na hora de medir
1 ovo grande
½ xícara de manteiga de amendoim
½ colher (chá) de extrato de baunilha
½ xícara (70g) de amendoins torrados e salgados, inteiros

Derreta ¼ xícara (56g) da manteiga em uma panela média em fogo médio. Junte a aveia e cozinhe, mexendo, até tostar, 5-7 minutos. Espalhe em uma assadeira forrada com papel toalha e deixe esfriar completamente. Enquanto isso, preaqueça o forno a 180°C. Forre duas assadeiras grandes e rasas com papel manteiga.

Em uma tigela media, misture com um batedor de arame a farinha, o bicarbonato de sódio e o sal. Reserve. Na tigela da batedeira, bata a ½ xícara (113g) de manteiga restante com os açúcares até obter um creme claro - raspe as laterais da tigela algumas vezes durante o preparo da receita. Junte o ovo e bata até incorporar. Junte a manteiga de amendoim e a baunilha, e então bata em velocidade média até combinar. Junte a aveia e os amendoins e misture em velocidade baixa até incorporar. Acrescente a mistura de farinha e misture apenas até incorporar.

Coloque porções de 2 colheres (sopa) niveladas de massa por biscoito nas assadeiras preparadas, deixando 5cm entre uma e outra. Asse por 12-15 minutos ou até que os biscoitos dourem bem nas extremidades. Deixe esfriar completamente nas assadeiras.

Guarde os biscoitos em um recipiente hermético em temperatura ambiente por até 5 dias.

Rend.: cerca de 28 unidades

Wednesday, June 01, 2016

Fudge de amendoim facílimo

English version

Oh so easy peanut butter fudge / Fudge de amendoim facílimo

Como muitos de vocês me lendo agora (tenho certeza), sou aquele tipo de pessoa que se diverte indo ao supermercado – sei que para muitos isso é um tipo de tortura bastante cruel, mas eu adoro. E ainda há aqueles mercados em que se encontram pacotes enormes de produtos – mais diversão ainda! Como diz o meu marido, sou “a louca do Sam’s Club”. :D Meu coração fica quentinho quando penso no saco de açúcar de 5kg dentro do meu armário, só esperando para virar bolo/pão/sobremesa no final de semana.

Eu acabo comprando, também, outras coisas que não uso tanto quanto açúcar, como manteiga de amendoim, por exemplo, mas como eu poderia resistir a um pote de 800g pelo preço de um de 400g? Trouxe o danado para casa e ando fazendo algumas (ou deveria dizer muitas?) receitas com o ingrediente, como este fudge facílimo que lembra o sabor de paçoca com a textura daqueles quadradinhos de doce de leite da infância (de quem é aqui de São Paulo, pelo menos). O fudge é fácil e fica pronto em poucos minutos, mas é preciso paciência para esperar que ele firme e seque e possa ser cortado em quadradinhos – pequenos, pois o doce é DOCE (em caps lock mesmo). :)

Achei que teria de distribuir os quadradinhos pela família para não ter que dar conta deles sozinha, porém o meu marido provou um e depois não deu sossego enquanto não acabou com quase tudo – o mesmo marido que “não gosta de doce”. :D

Fudge de amendoim facílimo
Um nadinha adaptado de Lucy Cufflin

- xícara medidora de 240ml

¼ xícara (56g) de manteiga sem sal
1 xícara (200g) de açúcar demerara
3 colheres (sopa) de leite integral
1/3 xícara generosa (100g) de manteiga de amendoim do tipo “creamy” ou “smooth”
1 colher (chá) de extrato de baunilha
1 pitada de sal
¾ xícara (105g) de açúcar de confeiteiro, peneirado – meça, depois peneire; talvez você não precise usar todo o açúcar

Forre com papel manteiga uma forma de bolo inglês de 20x10cm.
Em uma panela grande, leve a manteiga, o açúcar e o leite ao fogo baixo, mexendo gentilmente até que o açúcar dissolva.
Assim que o açúcar dissolver, deixe que a mistura comece a ferver e conte 3 minutos, sem mexer. Retire do fogo e junte a manteiga de amendoim, a baunilha e o sal, misturando bem. Em seguida, vá juntando o açúcar de confeiteiro aos poucos, mexendo bem com uma colher de pau – a mistura deve ficar cremosa e sedosa, não ressecada (se ressecar, pingue algumas gotinhas de água fria e bata bem com a colher).
Espalhe o fudge na forma forrada e pressione bem com uma espátula ou com as costas de uma colher para alisar a superfície e remover quaisquer bolhas de ar. Deixe esfriar sem cobrir por 4-5 horas ou de um dia para o outro.
Remova da forma com o auxílio do papel e corte em quadradinhos – o fudge pode ser guardado em um recipiente hermético em temperatura ambiente por até 15 dias.

Rend.:36 unidades

Wednesday, May 25, 2016

Bolo de cream cheese e mirtilo

English version

Cream cheese and blueberry cake / Bolo de cream cheese e mirtilo

Ando ocupada na cozinha, testando receitas para o livro e também para o blog, mas nos últimos dias não me sobrou tempo para sentar e escrever um post novo – fiquei horas na frente do computador, mas foi trabalhando feito louca, para trazer o bacon para casa. :D


E falando no livro, obrigada a todos pelo apoio – que delícia ler os comentários de vocês! Tanto aqui quanto nas redes sociais – foi como me sentir abraçada o tempo todo! Obrigada por serem tão queridos. <3

Há uns dois finais de semana (acho) estava viajando em mil receitas Internet afora quando de de cara com o bolo de mascarpone e amora da Emiko Davies – que coisa mais linda! Fiquei com vontade de roubar uma fatia pela tela, mas como isso (ainda) não é possível fui para a cozinha e fiz a minha versão do bolo dela, usando um pote de cream cheese que estava implorando para ser consumido e uns mirtilos congelados. O resultado foi um bolo incrível que agradou quem o provou.

Bolo de cream cheese e mirtilo
um tiquinho adaptado do lindo blog da Emiko Davies

Compota de mirtilo:
1 xícara (140g) de mirtilos – usei congelados, sem descongelar antes
2 colheres (sopa) de açúcar cristal

Bolo:
1 ½ xícaras (210g) de farinha de trigo
1 ½ colheres (chá) de fermento em pó
1/8 colher (chá) de sal
½ xícara (100g) de açúcar cristal
raspas da casca de 1 laranja grande
½ xícara (113) de manteiga sem sal, amolecida
180g de cream cheese, amolecido
2 ovos grandes
½ colher (chá) de extrato de baunilha
1 ½ colheres (chá) de Cointreau (opcional)

Comece preparando a compota de mirtilo: coloque os mirtilos em uma panelinha, junte o açúcar e leve ao fogo médio-alto, mexendo ocasionalmente, até o açúcar dissolver e os mirtilos começarem a soltar suco, 5 minutos. Amasse os mirtilos com as costas da colher conforme for misturando. Deixe esfriar completamente.

Prequeça o forno a 180°C. Unte com manteiga uma forma de bolo inglês com capacidade para 5 ½ xícaras de massa, forre com papel manteiga e unte o papel também.
Em uma tigela média, misture com um batedor de arame a farinha, o fermento e o sal. Reserve.
Na tigela da batedeira, junte o açúcar e as raspas de laranja e esfregue com as pontas dos dedos até que o açúcar fique aromatizado. Junte a manteiga e o cream cheese e bata até obter um creme claro e fofo – raspe as laterais da tigela ocasionalmente. Junte os ovos, um a um, batendo bem a cada adição. Junte a baunilha e o Cointreau (se for usar). Em velocidade baixa, junte os ingredientes secos e bata somente até incorporar – não bata demais.

Despeje a massa na assadeira e alise a superfície. Cubra com os mirtilos, mas não use todo o caldo que eles soltaram (para que o bolo não fique encharcado). Com uma faca sem ponta, marmorize levemente a massa do bolo com os mirtilos. Alise novamente a superfície sem misturar demais.
Asse por 45 minutos ou até que o bolo cresça e doure (faça o teste do palito). Deixe esfriarna forma por 20 minutos, e então desenforme com cuidado usando o papel para retirar o bolo da forma. Transfira para uma gradinha e deixe esfriar completamente. Remova o papel com cuidado e sirva.

Rend.: 8 porções

Related Posts with Thumbnails